Mania brasiliense de decorar ambientes cresce de 8% a 12% ao ano

Dados da Pyxis Consumo permitiram estimar, em 2013, um gasto de R$ 64,01 por morador com artigos, como tapete, almofadas e objetos de arte. O valor é quase o dobro da média nacional: R$ 33,17

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 23/01/2014 10:06 Gizella Rodrigues /Correio Braziliense
Cinco anos atrás, o serviço era considerado luxuoso e inacessível, mas, hoje, está popularizado no Distrito Federal - Arquivo Pessoal Cinco anos atrás, o serviço era considerado luxuoso e inacessível, mas, hoje, está popularizado no Distrito Federal
 
 
Para muitas famílias, conquistar a casa própria é a conclusão de um sonho que se torna possível graças a economias feitas durante uma vida inteira. Para algumas, principalmente as brasilienses, comprar a casa ou o apartamento é apenas o início de uma etapa que exigirá muito dinheiro. É cada vez mais comum contratar um arquiteto ou designer de interiores para reformar o imóvel recém-adquirido. Cinco anos atrás, o serviço era considerado luxuoso e inacessível, mas, hoje, está popularizado no Distrito Federal. Não é preciso ser milionário para decorar um apartamento com o auxílio de um profissional, que entre R$ 20 e R$ 500 por metro quadrado para deixar a residência com cara de revista.

Representantes do mercado de decoração afirmam que o setor cresce entre 8% e 12% ao ano. Dados da Pyxis Consumo, ferramenta de dimensionamento de mercado do Ibope Inteligência, confirmam a importância que o brasiliense dá para o assunto. O instituto estimou, em 2013, um gasto de R$ 64,01 por morador com artigos como tapetes, almofadas, flores artificiais, cortinas, enfeites, papéis de parede, quadros e objetos de arte. O valor é quase o dobro do potencial médio de consumo nacional, de R$ 33,17.

Brasília tem três shoppings voltados exclusivamente para a decoração: o ID, o Park Design Shopping, antigo Free Park, que passou por uma reformulação para acompanhar o crescimento do mercado, e o CasaPark, com 66 lojas. “O preço do metro quadrado está cada vez mais caro e as pessoas moram em apartamentos de 20 a 40 metros quadrados. Isso aumenta a necessidade de ter um ambiente planejado”, afirma o superintendente do CasaPark, Guto Liberato. Por mês, cerca de 200 mil pessoas passam pelo centro de compras, 80% delas para comprar móveis. Segundo Guto, a maioria dos clientes chega acompanhada de um arquiteto ou decorador. “Hoje, todo mundo faz reforma com um profissional. Ninguém quer comprar um móvel para a casa e ele não caber ou não combinar”, ressalta.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Tags: decoração

Anúncios do Lugar Certo

Outros artigos

ver todas
05 de outubro de 2016
26 de setembro de 2016
23 de setembro de 2016