Móveis espelhados ressurgem em versões sofisticadas e acabamentos variados

Febre nos anos 1970 e 1980, os móveis espelhados retornam ao cenário e transformam a decoração com efeitos e design inovadores

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 24/02/2014 09:17 Gláucia Chaves
Aqui, o espelho está presente na mesa de centro (que se integra ao tapete) e nas mesas laterais. Ambiente idealizado pela TokGlass - TokGlass/Divulgação Aqui, o espelho está presente na mesa de centro (que se integra ao tapete) e nas mesas laterais. Ambiente idealizado pela TokGlass

A pia espelhada e o espelho lateral fazem com que o banheiro criado pela arquiteta Letícia Ruivo pareça maior - Letícia Ruivo/Divulgação A pia espelhada e o espelho lateral fazem com que o banheiro criado pela arquiteta Letícia Ruivo pareça maior
Há muito, os espelhos são os queridinhos da decoração. A forma de usá-los é que muda — eles não se limitam a acessórios de guarda-roupa ou de banheiro. Moda nos anos 1970 e 1980, os móveis espelhados voltam com design mais moderno. “As linhas são mais retas; o espelho é sempre liso. Antigamente, ele tinha texturas ou desenhos”, completa a arquiteta Maristela Faccioli. Cômodas, criados-mudos e aparadores com espelhos foram destaque da 17ª feira da Associação Brasileira das Indústrias de Móveis de Alta Decoração (Abimad). No evento, importadores, lojistas e profissionais do setor moveleiro e de decoração expõem os móveis que serão tendência este ano.

Outra vantagem deles, segundo Maristela Faccioli, é a versatilidade: por refletirem o que está ao redor, os espelhos se integram e combinam com qualquer decoração. “Ele é um curinga porque combina com tudo e ‘desaparece’ no ambiente.” Eduardo Mourão, arquiteto responsável pela criação da coleção da loja Studio Casa, analisa a volta dos móveis como uma tendência clássica atualizada. “São releituras de peças com um mesclado de materiais, como lâminas de madeira, vidro, couro e espelho”, enumera. Em ambientes pequenos, o truque dos espelhos para dar mais amplitude também pode ser usado com ajuda dos móveis, segundo Mourão. “O espelho clareia e amplia, além de dar a impressão de que não está lá.”

Para não correr o risco de acabar com um ambiente parecido com uma sala infinita, Faccioli recomenda moderação. Muitos móveis espelhados no mesmo ambiente podem fazer com que um reflita o outro interminavelmente, causando confusão visual. “O legal é ter vários materiais diferentes que combinem entre si, para que a sala ou o quarto não fique com cara de showroom”, ensina. Para a arquiteta Letícia Ruivo, outra grande vantagem dos móveis espelhados é a elegância natural do próprio espelho. “Ele tem um brilho chique, que valoriza o ambiente, tornando-o mais sofisticado”, opina. Para o futuro próximo, Ruivo acredita que os espelhos virão em móveis que farão releituras de art déco, com muitas linhas retas, “com um ar de anos 1940”. “Ele está presente em todos os estilos, vai depender da linguagem da peça”, completa. “Seja reto ou rebuscado, o espelho é neutro, por isso, encaixa-se em todos.”

Na sala criada pela arquiteta Letícia Ruivo, a mesa de centro, apesar de grande, Na sala criada pela arquiteta Letícia Ruivo, a mesa de centro, apesar de grande, "desaparece" em meio à decoração

Na sala criada pela arquiteta Maristela Faccioli, a mesa de centro e o aparador espelhados dão amplitude ao ambiente - Maristela Faccioli/Divulgação Na sala criada pela arquiteta Maristela Faccioli, a mesa de centro e o aparador espelhados dão amplitude ao ambiente

Neste quarto, foram usados três móveis espelhados sem desarmonizar ou pesar a decoração. O projeto é assinado pelos profissionais da Herval - Herval/Divulgação Neste quarto, foram usados três móveis espelhados sem desarmonizar ou pesar a decoração. O projeto é assinado pelos profissionais da Herval

Tags: estética

Anúncios do Lugar Certo

Outros artigos

ver todas
05 de outubro de 2016
26 de setembro de 2016
23 de setembro de 2016