Escolha do colchão deve priorizar o conforto e a estética do ambiente

Aliar a escolha certa do colchão com uma bela decoração do quarto é um caminho andado para uma noite bem dormida

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 24/03/2014 09:04 / atualizado em 24/03/2014 09:18
Se antes o colchão costumava passar despercebido, hoje é usado não só para dormir, mas também como objeto decorativo - Clausem Bonifácio/Divulgação Se antes o colchão costumava passar despercebido, hoje é usado não só para dormir, mas também como objeto decorativo
 
 
Uma boa noite de sono tem influência direta na qualidade e na produtividade ao longo do dia. Passamos 1/3 da nossa vida dormindo, ou seja, em cima de um colchão. Portanto, além da preocupação com a estética na hora de decorar o quarto, é importante ficar atento à escolha do colchão. Se antes ele costumava passar despercebido, hoje é usado não só para dormir, mas também como objeto decorativo.

Para escolher um colchão, deve-se ficar atento a três pontos principais: qualidade, peso e preferência de conforto. Ao contrário do que muitos pensam, não existe um padrão de colchão ideal. “Cada pessoa se adapta melhor a esse ou àquele modelo. Os colchões de mola, por exemplo, têm essa característica de se adaptar a diferentes pesos. Mas muitas pessoas não gostam desse modelo, preferem os de espuma”, explica Jane Jardini, diretora do Grupo Americanflex.

O presidente da Abicol (Associação Brasileira da Indústria de Colchões), Luis Fernando Ferraz, destaca que, nos últimos 10 ou 12 anos, o colchão ganhou muita importância tanto pelos consumidores, que compreenderam que esse produto contribui para sua qualidade de vida, quanto pelos fabricantes, que têm investido muito em novas matérias-primas e tecnologias de montagens. “Hoje, os consumidores têm um amplo mix de oferta.”

Esteticamente falando, as cores, as formas e os tamanhos do colchão deixam o quarto mais harmonioso. A boa sintonia dele com o resto do ambiente torna a estada e o repouso mais agradáveis. O posicionamento da cama depende muito das características e do tamanho do quarto. Não existe um lugar correto, o importante é favorecer a boa circulação. O respeito às medidas é fundamental na organização do ambiente.

Clausem Bonifácio/Divulgação
 
 
A escolha das cores também é de extrema importância — não só as da parede do quarto, como também as das colchas. Os tons suaves são os mais indicados, mas nada impede de se usar os escuros. O que mais vale é a sintonia das cores dentro do design do ambiente. Lençóis confortáveis e com cores claras, por exemplo, deixam o lugar mais clean e elegante. Se o quarto é pequeno, invista em tons pastéis ou brancos para ampliá-lo. “A principal dica é respeitar o tamanho do ambiente e escolher um colchão que não prejudique a circulação para não corrermos o risco de parecer algo forçado: uma cama maior do que o ambiente comporta”, explica a arquiteta Fabiane Bello.

No caso dos eletrodomésticos, como ar-condicionado, aparelhos de televisão e de som, uma boa solução é fixá-los na parede. A escolha da cabeceira da cama também deve ser cuidadosa. As laqueadas de branco ou em tons claros são as mais versáteis na decoração, pois costumam combinar com a maioria dos ambientes. Mas, como é o objeto em maior evidência dentro do quarto, dá para brincar com as cores e abusar da criatividade.

Na hora de comprar o colchão…


Não deixe de experimentar o colchão na loja. Não tenha vergonha, deite no colchão antes de levar.
Não economize.
Escolha com tempo.
Saia com seu companheiro para comprar. Ele também deve aprovar o colchão para maior conforto dos dois.

Os tons claros e o espelho ajudam a dar uma sensação de maior amplitude ao quarto neste projeto de Fabiane Bello (Cláudio Andrade/Divulgação )
Os tons claros e o espelho ajudam a dar uma sensação de maior amplitude ao quarto neste projeto de Fabiane Bello
 
Cláudio Andrade/Divulgação
 
 
Faça a escolha certa

O colchão tem prazo de validade:

Segundo o Instituto Nacional Estudos Repouso (Iner), esse período é de cinco anos para os modelos de molas e de três a cinco anos para os de espuma.
Altura e peso do consumidor também contam muito na escolha:

O colchão tem função ortopédica e de maciez. Deve alinhar a coluna e as partes mais volumosas do corpo.
Além do colchão, é preciso ficar atento ao travesseiro:
Existem somente duas posições corretas para dormir: com a barriga virada para cima ou de lado. Para quem dorme com a barriga virada para cima, deve optar por um travesseiro baixo e colocar outro travesseiro abaixo do joelho. Já quem é seguidor da segunda opção, deve usar três travesseiros — um para preencher o espaço entre o ombro e a cabeça, outro entre os joelhos e um terceiro para “abraçar”, que permitirá maior equilíbrio e conforto.
Para escolher o colchão certo, deve-se estar atento a três pontos principais:
qualidade, peso e preferência de conforto. A altura e o peso são definidos como densidade do corpo. O Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) testa a qualidade desses colchões e define qual é o tipo de colchão ideal para cada biotipo.
Existem vários tipos de colchão:
Os com espuma viscoelástica são produzidos sobre os pontos de pressão. Esse tipo de tecnologia vem da Nasa e se molda de acordo com o corpo. Existem ainda colchões com tecnologia de molas pocket. Nesse caso, tem um molejo independente. Ou seja, quem dorme ao lado não sente quando o companheiro se mexe. Para quem gosta de ambientes mais frescos, existem os produzidos com malha ecobambu, que faz diminuir a temperatura do colchão em até 2°C.

Tags: imóveis

Anúncios do Lugar Certo

Outros artigos

ver todas
05 de outubro de 2016
26 de setembro de 2016
23 de setembro de 2016