Especialistas apostam cada vez mais no blindex para criar projetos modernos

Arquitetos, decoradores e designers de interiores utilizam o vidro temperado para projetar um ambiente mais clean e contemporâneo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 15/04/2014 07:58 Lilian Monteiro /Estado de Minas
Translúcido, fosco, verde, cinza ou bronze, a escolha do vidro depende do visual que se deseja e da aplicação - Divulgação/Rodrigo Marcandier Translúcido, fosco, verde, cinza ou bronze, a escolha do vidro depende do visual que se deseja e da aplicação
 
 
Muitos não imaginam o quanto o vidro temperado é multiuso. Com o passar dos anos, ele invadiu praticamente todos os ambientes da casa e aparece não só em detalhes ou elementos decorativos. Box de banheiro, fachada de prédio, muro, gradil de jardim, corrimão, tampo de mesa, fechamento de sacada e varanda, guarda-corpo, janelas, portas internas... Ele é mesmo de mil e uma utilidades e veio para ficar. Translúcido, fosco, verde, cinza ou bronze, a escolha depende do visual que se deseja e da aplicação.
 

A arquiteta Nathália Otoni, que, ao lado da colega Luciana Araújo, comanda o escritório Óbvio Arquitetura, diz que o vidro é para “usar e abusar”. Ela conta que as pessoas gostam e investem cada vez mais no material porque dá a sensação de liberdade, segurança e é nobre. Para Nathália, o vidro tem mais vantagens do que contratempos. “No guarda-corpo da escada, ele dá segurança sem criar barreira visual, é limpo e leve. Mesma qualidade se for usado no muro do prédio, que pode ainda prolongar a calçada e evitar esconderijos para ladrões. O vidro protege o jardim do cachorro, por exemplo, que pode estragá-lo. Enfim, é muito bacana e as pessoas amam.”

O único porém, de acordo com Nathália, é que o vidro suja mais e requer manutenção constante. “No entanto, é uma marca de dedo ou o respingo de água, tudo bem fácil de limpar. O gradil tem de ser pintado ou trocado, o vidro não estraga com intempéries. Então, é outro ponto a favor e vale a pena.”

Entusiasta do vidro, a arquiteta conta que, além do temperado tradicional, há no mercado o vidro laminado, que é uma variação do temperado, mas com película que não o deixa “quebrar”. “Ele quebra, mas continua colado, preso e inteiro. É mais seguro.” Há ainda o vidro com películas de proteção ultravioleta, que evita o desbotamento de tecidos e móveis.

Vale lembrar que, ao escolher vidro, o ambiente ganhará luminosidade. “A opção, se não quiser abrir mão da luz, é usar cortina para controlar ou ainda escolher película ou jatear. Agora, se for inevitável e optar por privacidade total, a saída é laquear, pintar o vidro. Tem também o vidro espelhado, chamado de ray-ban, uma outra opção, com função distinta.”
 
Divulgação/Líder Interiores
 
 
A designer de interiores Cynthia Roux, do escritório Cynthia Roux Design de Interiores e Objetos, reforça que o vidro temperado é um diferencial na decoração. “Além do principal, a segurança, quebra em pedaços cúbicos, sem pontas, é resistente e dá leveza a qualquer ambiente.” Ao contrário do que muitos pensam, “vidro não esquenta o espaço”. Cynthia recomenda também usá-lo em fechamentos de área externa, pois considera que fica bem bonito.

A designer lembra que, apesar de muitas pessoas pensarem no blindex (vidro temperado) como solução para banheiros, na verdade os profissionais estão acostumados a levá-lo a todos os espaços. “Fica interessante, por exemplo, atrás da bancada da cozinha ou mesmo a bancada, sendo assim importante laqueá-la, tirar a transparência para esconder o armário, a pia, algum fio... E é legal o laqueamento no lugar do jateado, já que temos opções de cores (o jateado é só branco).”

De acordo com a designer, apesar de casar com vários estilos de decoração, não tem como negar que o vidro temperado agrega ao ambiente ares contemporâneos, com visual mais moderno. Cynthia também gosta do efeito do vidro espelhado. “Além de ampliar o ambiente, gosto dele no closet, aberto para o quarto. O fechamento fica elegante. Com luz acesa ele fica transparente e, quando apagada, vira espelho. É uma boa escolha ainda para quem gosta de ter TV na sala, mas sem deixá-la exposta. Uma boa solução é o vidro espelhado num móvel que irá escondê-la.”

Tags: sustentabilidade

Anúncios do Lugar Certo

Outros artigos

ver todas
05 de outubro de 2016
26 de setembro de 2016
23 de setembro de 2016