Paisagista projeta casa sobre rodas com menos de 11 m²

Para não arcar com os altos custos de um financiamento imobiliário, paisagista canadense encontra uma saída para lá de criativa para construir seu lar, doce lar

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 20/05/2014 08:00 Lugar Certo /Folha de Londrina
Divulgação/Kayla Feenstra


Preocupada em não arcar com os altos custos de um financiamento imobiliário, uma paisagista canadense encontrou uma solução bem criativa para construir sua sonhada casa: ergueu uma minúscula residência de 10,76 m² sobre a base de um trailer. Kayla Feenstra, 30 anos, ainda está dando os retoques finais à sua pequena moradia, estacionada em uma fazenda de Abbotsford, cidade próxima a Vancouver.

Apelidada de Jack in a Box, a casa foi projetada sob medida para ela e custou US$ 15 mil (cerca de R$34 mil). A obra foi concluída em dois meses. Em entrevista ao jornal The Huffington Post, Kayla disse que como não tinha um terreno e também era avessa à ideia de deixar sua casa para trás, caso resolvesse se mudar, por isso optou por construí-la sobre rodas.

A moça, que cresceu construindo casas de madeira com seu pai, projetou sua casinha com um mezanino de 7,4 m² para servir de quarto, uma cozinha, privada seca e banheiro com chuveiro. Ela tem três painéis solares, um fogão, geladeira e luzes LED de baixa voltagem, além de fiação elétrica para o caso da estrutura ser conectada na tomada de uma casa ou um estacionamento de trailers para receber energia.

Divulgação/Kayla Feenstra


Kayla disse que as pessoas se surpreendem "quando percebem como a casa é espaçosa. Elas entram e dizem 'uau, é enorme!'". Para acomodar com conforto sua dona, que mede 1,88, a casinha tem um apresentável pé direito de 3,35 metros de altura. Ela ainda divide o pequeno espaço com seu cão Scotch, que pesa 45 quilos, e um gato chamado Jinx.

Se agora a casinha parece um paraíso, Kayla conta que para construí-la teve que superar alguns obstáculos. Algumas das maiores dificuldades foram encontrar artigos que precisaram ser customizados e pesquisar as exigências legais da construção. Um aquecedor de tamanho tradicional aqueceria sua casa em dois segundos e "a faria explodir", então ela teve que procurar um aquecedor usado para barcos, com 60 cm de altura e 30 cm de largura.

A Jack in a Box faz tanto sucesso que Kayla já recebeu ofertas de outros lugares para estacioná-la, em troca de sua mão de obra. A paisagista também recebeu propostas de pessoas interessadas em comprar casinhas projetadas por ela, caso queira converter sua ideia em um negócio.

Divulgação/Kayla Feenstra

Tags: casa

Anúncios do Lugar Certo

Outros artigos

ver todas
05 de outubro de 2016
26 de setembro de 2016
23 de setembro de 2016