Arquiteta dá dicas de como decorar o apartamento novo com personalidade

O apartamento novo é como uma tela em branco e o que vai definir a %u2018pintura%u2019 são as escolhas do novo morador. Para não errar, é importante agir com cautela e contar com a ajuda de um profissional

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 03/12/2014 08:17 CorreioWeb /Lugar Certo
Virgínia Reis/Divulgação


Comprar um apartamento é um grande passo. Esse lugar, que agora pode ser chamado de lar, passará a ser cenário das conquistas e sonhos dos moradores e também será o refúgio para aqueles dias em que o trabalho foi cansativo e estressante. Mas antes de tudo isso, o apartamento deve receber uma decoração que agregue conforto, funcionalidade, beleza e, claro, a personalidade de quem vai viver ali os próximos anos de sua vida. Por ser tratar de algo de tanta importância, a pergunta não cala: como fazer as melhores escolhas?

“Em primeiro lugar, deve-se fazer um ‘programa’ de quais as necessidades e desejos dos moradores”, destaca a arquiteta Virgínia Reis, do My Decor Book. A partir dessas informações iniciais já dá para começar a pensar nas cores, texturas e materiais que mais agradam.

Com relação às cores, a dica para não errar é apostar sempre em uma base neutra. “Prefiro trabalhar com uma base mais neutra e jogar cores mais tendenciosas em peças menores e mais baratas que podem ser substituídas com mais regularidade”, indica a arquiteta.

Para os móveis, o mais importante é que eles estejam em equilíbrio com as proporções do ambiente. “O mobiliário não pode comprometer as áreas de circulação nem o posicionamento de cada elemento. Isso é importante para que o ambiente seja funcional e agradável esteticamente”, conta Virgínia.

Leia mais notícias em Decoração

Virgínia Reis/Divulgação


Investir em peças com maior qualidade é um passo fundamental na hora de decorar. “Mesmo que demore um tempo maior para montar todo o apartamento, é importante comprar peças adequadas, de qualidade e em lojas que garantam um bom pós-venda. A economia é maior quando os móveis e demais utilitários são bons e de design, pois eles terão maior tempo de vida e conforto”, explica a arquiteta.

Para fechar, é primordial fazer uma lista de prioridades. “O erro mais grave ocorre quando a pessoa sai comprando móveis e adornos sem um planejamento, sem ter verificado se as medidas estão adequadas, se os materiais e acabamentos são resistentes, adequados e práticos para cada uso. A falta do projeto faz com que haja mais gastos e que o resultado não saia como esperado”, alerta a profissional.

Anúncios do Lugar Certo

Outros artigos

ver todas
05 de outubro de 2016
26 de setembro de 2016
23 de setembro de 2016