Arquitetos projetam capela conceitual baseada em histórias de amor

Aproveitando a vista panorâmica sobre a baía do Japão, os arquitetos abusaram do romantismo e criaram um prédio que, arquitetonicamente, encarna o ato do casamento

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 11/02/2015 08:01 / atualizado em 11/02/2015 11:32 CorreioWeb /Lugar Certo


Além de confortável, prático e com boa localização, um espaço para casamento precisa ser bonito. Locais com projetos arquitetônicos renomados têm ganhado o gosto de noivos modernos e antenados com as novidades. Nesse caso, a própria arquitetura se torna um artigo de decoração, surpreendendo os convidados pelo design diferenciado.

Em Hiroshima, no Japão, um resort investiu na arquitetura de uma capela localizada a meio caminho de uma colina com uma vista panorâmica sobre a baía do Japão. Aproveitando a vista privilegiada, a NAP Architets, empresa contratada para realizar o projeto, abusou da criatividade e do romantismo e pensou em um prédio que, arquitetonicamente, encarna o ato do casamento. 


Duas escadas são a base conceitual do projeto. Sozinhas, elas seriam instáveis numa direção horizontal e estariam sujeitas a vibração na vertical, mas quando entrelaçadas, em formato espiral, uma apoia a outra, produzindo uma estrutura auto-suportante. "Assim como duas vidas passam por voltas e mais voltas antes de unirem-se em uma só, as duas espirais se conectam perfeitamente no topo a 15.4m, para formar uma única fita", descrevem os idealizadores do projeto. 

No interior da capela, o altar fica diante de uma árvore símbolo e os 80 lugares estão voltados para o mar, através da árvore. O exterior da capela é revestido com painéis verticais de madeira, pintados de branco e liga de zinco, um material resistente aos danos causados pela brisa do mar e flexível o suficiente para ser aplicado à curvatura.



Com informações do ArchDaily

Anúncios do Lugar Certo

Outros artigos

ver todas
05 de outubro de 2016
26 de setembro de 2016
23 de setembro de 2016