Modelo uruguaio de casas cooperativas é tema de mostra, em São Paulo

Construção colaborativa que já acontece no Uruguai há 50 anos é exemplo de cidadania

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 26/05/2015 09:22 / atualizado em 25/05/2015 18:08 CorreioWeb /Lugar Certo
Museu da Casa Brasileira (SP) recebe mostra sobre o modelo de construção cooperativa do Uruguai - Divulgação Museu da Casa Brasileira (SP) recebe mostra sobre o modelo de construção cooperativa do Uruguai


Desde os anos 1970, a legislação do Uruguai garante a construção de habitat social urbano, por meio de um modelo cooperativista, que já é executado no país há 50 anos. A colaboração dos trabalhadores para a construção das próprias casas é modelo para toda a América do Sul. O movimento cooperativista uruguaio é tema da exposição "Cooperativas habitacionais no Uruguai - meio século de experiências", em cartaz de 3 de junho a 2 de agosto, no Museu da Casa Brasileira, em São Paulo.

Leia mais notícias em Arquitetura e Decoração

Diversas modalidades de gestão, implantações urbanas e modalidades de projeto serão apresentadas aos brasileiros, por meio da reprodução de fotografias, planos e maquetes de vinte obras produzidas na cidade de Montevidéu, durante 50 anos. Um dos curadores da mostra e professor do curso de pós-graduação Habitação e Cidade, na Escola da Cidade, Ruben Otero explica que o modelo uruguaio tem potencial para ser reproduzido no Brasil. “Em nível de arquitetura social, [o cooperativismo uruguaio] marcou toda a América Latina”, considera o profissional. “É exemplo, não só do ponto de vista da edificação, mas da construção da cidadania”, garante.

Desde a instituição da Lei Nacional de Habitação Uruguaia (Lei Nacional de Vivenda) de 1968, a classe operária organizada foi apoiada por arquitetos com sólida formação técnica e comprometida com a melhora da qualidade de vida da população. Depois de solidificado, o cooperativismo demonstrou ser um sistema de grande potencial para a construção de moradias sociais. “É importante não só do ponto de vista da edificação, mas da construção de cidadania”, avalia o arquiteto, que é uruguaio.

Até hoje, a população se une para erguer a estrutura das casas no Uruguai, mas casa de 1972, por exemplo, ainda estão em estado de conservação exemplar e serão exibidas na mostra. “Todas as fotografias são contemporâneas para mostrar como elas evoluíram”, explica Otero, que está no Brasil há dez anos e já participou de projetos grandes, como o plano para a favela de Paraisópolis, em SP.
 
Serviço: A mostra "Cooperativas habitacionais no Uruguai - meio século de experiências" fica aberta para visitação de 3 de junho a 2 de agosto, no Museu da Casa Brasileira (MCB), em São Paulo (SP). 
Abertura: 3 de junho às 19h30 (Entrada gratuita). Visitação de terça a domingo, das 10h às 18h.

Ingressos: R$ 6 e R$ 3 (meia-entrada) | Crianças até 10 anos e maiores de 60 anosnão pagam e a entrada é gratuita aos domingos, feriados e aberturas noturnas.

 

Anúncios do Lugar Certo

Outros artigos

ver todas
05 de outubro de 2016
26 de setembro de 2016
23 de setembro de 2016