Efeito 3D é opção diferenciada para mudar o visual da casa

Revestimentos 3D ganham destaque nos ambientes. Tendência no décor, eles garantem mais beleza e praticidade, além de aliar estética e funcionalidade

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 10/05/2016 11:32
Na sala de jantar, o revestimento dá um toque de elegância à decoração - Osvaldo Castro/Divulgação Na sala de jantar, o revestimento dá um toque de elegância à decoração


Uma das etapas mais importantes na hora de mudar o visual da sua casa é a compra do revestimento. Ele imprime personalidade e é peça-chave para a decoração. O uso dos revestimentos 3D é o novo queridinho do mercado, dos profissionais da arquitetura e do design e da clientela, sempre antenada e pronta para investir em novidade.

A designer de interiores Fabiana Visacro explica que o efeito 3D pode ser dado de algumas formas, inclusive em papel de parede, que parece estar em alto-relevo. O que é bem bonito. No entanto, ela destaca que está em alta o revestimento de porcelanato com suas volumetrias. Modelo que chegou ao mercado há mais ou menos dois anos, mas que ganha força agora e está cada vez mais presente nos projetos. “Além de ser um acabamento bacana, as juntas são retificadas, ou seja, não pede rejunte. Assim, a junta seca dá unidade, fica uma grande parede com volumetria.”

Leia mais notícias em Arquitetura e Decoração

Outra opção, indica Fabiana, é quem tem um espaço pequeno e não pode encher de enfeites e móveis e lança mão do revestimento 3D, que terá um efeito diferente, não atrapalhará a circulação e libera do uso de adornos. “Ele pode aparecer também como detalhe, seja para destacar uma mesa ou o aparador. Mas, independentemente de o ambiente ser grande ou pequeno, a volumetria enobrece qualquer espaço.” A designer de interiores destaca que outra facilidade do revestimento é a variedade de cores, formas e texturas. Há ainda modelos foscos e com brilho. Vale lembrar que o desenvolvimento das novas tecnologias de impressão na superfície das peças garante visual mais natural e bonito.

O revestimento 3D é o tipo de material procurado para áreas como banheiro, cozinha, lavabo, sala e varanda pela facilidade de manutenção - Rodrigo Mercandier O revestimento 3D é o tipo de material procurado para áreas como banheiro, cozinha, lavabo, sala e varanda pela facilidade de manutenção


Os cuidados com o revestimento 3D de porcelanato são simples, assegura Fabiana. “O porcelanato tem nível zero de absorção e basta uma bucha úmida para limpá-lo. Diferentemente de certos tipos de granito e de mármore que absorvem água e poeira e dão mais trabalho.” Quanto à iluminação, se for focada criará nuances e um efeito de luz e sombra.


Fabiana Visacro explica que quando um ambiente está montado com móveis e adornos de muitas linhas retas, a volumetria com detalhes abaulados e curvos traz uma forma mais orgânica e deixa o espaço menos impessoal. “Dependendo do local a ser decorado, apenas o revestimento e uma boa iluminação já são suficientes, em um hall. É necessário conhecimento profissional e não só uma questão estética.”

DURABILIDADE Já para a arquiteta Simone Rocha, do escritório Simone Rocha Arquitetura e Design, o revestimento 3D é o tipo de material procurado para áreas como banheiro, cozinha, lavabo, sala, varanda e até quarto, já que uma de suas características é aumentar a durabilidade, além da facilidade de manutenção. “É uma ótima opção para a pintura não descascar, para áreas úmidas ou mesmo espaços que terão desgaste por causa do sol e da chuva, como uma área externa”, afirma.

Para Simone, o grande diferencial do 3D é que “ele deixa o ambiente frio com menos cara de área de serviço, por exemplo. Além de mais bonita”. Mas ela avisa que há outras alternativas, como o revestimento de pedra (fazendo um mosaico), tijolo ou o uso do cimentício.

Rodrigo Mercandier
A arquiteta reforça que o revestimento 3D pode ser usado em partes da casa que o cliente deseja que sobressaiam. “Um pilar pode ganhar outro efeito, é uma saída para esconder uma viga.” Simone enfatiza que a única preocupação é quanto ao tamanho da placa em relação ao tamanho da parede que você for cobrir. Fique atento à largura. Se comprar errado e for um recorte pequeno ficará desproporcional. Ela diz que não é difícil de colocar. “Há muitas alternativas e sugiro olhar não só uma placa, mas várias na hora de comprar. Fique de olho nas emendas, porque algumas marcam mais e o ideal é um visual homogêneo, com as juntas casadas.”

Sobre o preço, Simone Rocha diz que é difícil pela variedade, mas o valor médio é de R$ 150 o metro quadrado. E ressalta que, no fim, o importante é o gosto do cliente em primeiro lugar. Em seguida que dialogue com o resto da casa; e em terceiro, o cuidado de evitar um desenho muito marcado porque ficará cansativo. “Lembre-se de que pode ousar num detalhe, em ambientes grandes o risco é maior.” A arquiteta alerta que quanto menor e/ou mais escuro, mais suaves devem ser os movimentos 3D dos revestimentos para não cansar nem gerar a sensação de confinamento.

Anúncios do Lugar Certo

Outros artigos

ver todas
05 de outubro de 2016
26 de setembro de 2016
23 de setembro de 2016