Artistas seguem traços de Millôr e criam utilitários com as 'Garotas do Alceu'

Traços do tio desenhista da extinta revista O Cruzeiro são replicados pelos designers da família em utensílios que colorem jogos americanos e outros itens domésticos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 16/12/2013 08:00 Laura Valente /Estado de Minas
Marcos Michelin/EM/D.A Press

A pegada é vintage, mas jamais soará demodê. Afinal, as Garotas do Alceu, personagens criadas pelo desenhista e figurinista Alceu Penna que influenciaram gerações e falaram como ninguém sobre o comportamento e a emancipação da mulher brasileira, sempre serão lembradas com viés cultural. As histórias das Garotas deixaram de ser publicadas com a extinção da revista O Cruzeiro, em 1975, depois de 28 anos de sucesso ininterruptos quando pautavam tudo quanto era assunto. Antenadas, as Garotas desfilavam roupas em desenhos tão perfeitos que era possível identificar tecidos e cores da moda . Agora, muitos anos depois, dois dos sobrinhos do artista, Laís e Ivan Penna, debruçaram-se sobre a rica produção do tio para lançar linha de utilitários domésticos inspirados nas Garotas.


Marcos Michelin/EM/D.A Press
Artesanal e ainda bastante tímida do ponto de vista da produção comercial, a linha é composta por jogos americanos, porta-copos, aventais. “Já tivemos uma fábrica de camisetas, mas acabamos fechando. Com o tempo, surgiu a vontade de mudar de ramo. Assim, num clique de inspiração, criamos a linha de utilitários. Os produtos nem estão em lojas, mas têm feito o maior sucesso por meio da propaganda boca a boca”, comemora Laís.

A parceria familiar têm funcionado a contento. Enquanto Ivan é “mais criativo” para elaborar as linhas, Laís fica por conta da produção e comercialização. Além das imagens do acervo familiar dos Penna devidamente escaneadas e trabalhadas em parceria com Lívia Kot, designer gráfico, a matéria-prima é formada por tecidos remanescentes da antiga fábrica de camisetas - linho, gorgurão, oxford. “Já penso em usar também tecidos tecnológicos, que podem ir à máquina de lavar sem qualquer restrição”, avisa Laís.

Por enquanto, a dupla escoa a produção no esquema porta a porta. “Como ainda não procurei lojas para comercializar os produtos, os interessados me ligam e eu levo as peças na casa do cliente. É até bom porque muitas vezes a pessoa testa o que fica mais de acordo com sua decoração e/estilo”.

Produção frenética


Vale lembrar que as imagens das Garotas são variadas. “Meu tio teve uma produção frenética, não parava de desenhar. Na revista O Cruzeiro, Millôr Fernandes escrevia os textos e Alceu desenhava as Garotas, que nem sequer tinham nome, mas falavam de tudo sobre o comportamento feminino de vanguarda: tinham as mesmas formas de corpo, penteados, modelos de roupa, tudo que a meninada da época gostava, além de executar ações como aprender a dirigir, cursar inglês, usar biquíni e por aí vai”, lembra Laís.

O trabalho, conta Laís, tem a função de ganha-pão, mas também viés emocional. “Trata-se de uma tentativa de resgate da importância que o tio Alceu teve e ainda tem como artista do comportamento, da história brasileira. O traço dele foi único e carregou uma expressividade ímpar. Às vezes, fazia uma mulher em um traço só, com vários detalhes: na roupa, no olhar, nos sombreados. No desenho dele é possível perceber até mesmo o tipo de tecido usado nas roupas da época”, reforça.

Além da inspiração na obra de Alceu Penna, os irmãos Ivan e Laís também produzem utilitários em outras técnicas. “Fazemos bordados e aplicações diversas para criar formas variadas”, discorre Laís. Mas não espere encontrar no acervo peças em técnicas manuais clássicas, como o ponto de cruz. “Nosso viés é mais contemporâneo, e nada linear. Geralmente, usamos fitas, filós e linhas diversas para criar figuras estilizadas, muitas vezes inspiradas em flores.”
Marcos Michelin/EM/D.A Press

Tags: decoração

Anúncios do Lugar Certo

Outros artigos

ver todas
19 de fevereiro de 2016
15 de janeiro de 2016
04 de janeiro de 2016
17 de dezembro de 2015
27 de agosto de 2015