Móveis pé palito traduzem a elegância necessária para qualquer ambiente

A série Ícones do Design aborda hoje os famosos móveis pé palito, um clássico que um dia foi sinônimo de modernidade

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 14/04/2014 09:44 / atualizado em 14/04/2014 09:53 Gláucia Chaves
Poltrona Madalena, da Oppa - R$ 579 - Fotos: Líder Interiores/Divulgação; Oppa/Divulgação; Cezar Kirizawa/Oppa Poltrona Madalena, da Oppa - R$ 579

Nos anos 1950, ele veio para quebrar a seriedade e as duras linhas retas do modernismo. A sinuosidade do pé palito trouxe tanta leveza ao mobiliário que, até hoje, os suportes em formato de cone ainda são usados por quem quer uma decoração mais delicada e dinâmica. Em mais uma matéria da série Ícones do Design, a Revista traz um pouco da história dessa tendência atemporal. Contemporâneo à consolidação do consumismo ao american way of life, o pé palito surgiu em um período em que as pessoas queriam “prever o futuro”. Aviões supersônicos, arte moderna e desenhos animados com robôs foram ícones de uma nova ordem estética que queria que o amanhã viesse o mais rápido possível. “Os mobiliários em pé palito representam materialmente um ideário moderno que contagiava as artes, a arquitetura e o design nos anos 1950-1960 do século passado”, analisa Leonardo Oliveira, professor do curso de design de interiores do UniCeub.

» Segundo Sueli Garcia, coordenadora do curso de design de interiores e professora de história dos interiores do Centro Universitário Belas Artes de São Paulo, as origens do design do pé palito não são fáceis de precisar, mas começam após a Segunda Guerra Mundial, nos anos 1940.

» As formas orgânicas da época seriam uma visão escapista pós-guerra. A nova ordem era produzir e, principalmente, consumir (por mais supérfulo que o item fosse). “Havia uma visão de ficção científica na época, com os Estados Unidos rompendo com a funcionalidade que vem da Europa”, detalha Sueli. “Era um estilo americano com influência europeia. Uma visão fresca que se junta à capitalista.”

Mesa de jantar Pallus, da Líder Interiores - preço sob consulta - Mesa de jantar Pallus, da Líder Interiores - preço sob consulta

Estante Biscoito Fino grafite, da Oppa - R$ 1.099 - Estante Biscoito Fino grafite, da Oppa - R$ 1.099


» A criação do pé palito também recebeu influências do estilo streamlined, que fez sucesso nos Estados Unidos do início da década de 1930 a meados dos anos 1950. A linguagem técnico-científica, segundo Sueli, foi determinante para a criação do pé palito. “A grande questão era demonstrar o know-how do uso da madeira para ter o máximo de estrutura delgada”, justifica a professora. “Era uma questão tecnológica deixar algo maciço com aparência leve.”

» Embora o pé palito não tenha um criador específico, Sueli Garcia explica que a ideia de criar um suporte dinâmico, com estrutura delgada e leve, teve como ponto de partida o trabalho de Raymond Loewy, considerado o pai do desenho industrial. “Ele era um desenhista industrial de vários segmentos, de carros a locomotivas, e criou objetos com apelo estético maior que funcional”, completa. “Ele pensava com a cabeça dos americanos: o que interessa é seduzir e vender.”

» O pé palito e seu estilo futurista marcaram uma época pós-art nouveau (estilo inspirado na natureza) e pós-art déco, movimento que privilegiava formas geometrizadas. “Se criarmos um túnel do tempo, teremos um ‘novo’ estilo: o clássico-moderno”, compara Ruy Barbosa Junior, desenhista industrial e professor do curso de design de interiores do Iesb

» O pé palito desembarca no Brasil no início dos anos 1960 e ganha novas influências com a participação de Joaquim Tenreiro, Sérgio Rodrigues e Zanine Caldas . “A contribuição desses designers cria um conceito nacionalista para o móvel brasileiro”, detalha Ruy. “A partir dessa época até hoje, temos móveis com essa influência: o uso da madeira, da palhinha e do couro.”

Mesa lateral Gala, da Líder Interiores - preço sob consulta - Mesa lateral Gala, da Líder Interiores - preço sob consulta

Mesa lateral Biscoito Fino, 50cm, da Oppa - R$ 259 - Mesa lateral Biscoito Fino, 50cm, da Oppa - R$ 259


» Segundo Leonardo Oliveira, a revolução dos mobiliários brasileiros se deve aos imigrantes Joaquim Tenreiro e Giuseppe Scapinelli. O moveleiro português e o arquiteto italiano, explica o professor, criavam móveis “cada vez mais leves a ponto de seus apoios, seus pés, tocarem levemente o piso, como se estivessem sendo delicadamente colocados em seus lugares”.

» Os móveis também tinham qualidades construtivas. Leonardo explica que, via de regra, eram executados em madeira de lei, como a caviúna e o jacarandá. Sérgio Rodrigues, projetista de móveis para o Congresso Nacional, Itamaraty e Universidade de Brasília (UnB), além de um dos aprendizes e sucessores de Joaquim Terneiro, também usava o jacarandá em suas criações e foi um dos representantes desse conceito de móveis.

» A posição oblíqua dos apoios em pé palito “transfere as cargas dos móveis e dos assentos para o piso por meio da resultante dos esforços”, explica Leonardo Oliveira. Isso possibilita reduzir a quantidade de material para confeccionar esses apoios. “Pés retos devem, muitas vezes, ter mais massa para resistir os esforços.”

Tags: controle

Anúncios do Lugar Certo

Outros artigos

ver todas
19 de fevereiro de 2016
15 de janeiro de 2016
04 de janeiro de 2016
17 de dezembro de 2015
27 de agosto de 2015