Florais, geométricos, modernos e animal print; estampas dão vida aos ambientes

As estampas conseguem dar vida nova a qualquer ambiente. Contudo, combinar móveis estampados com demais itens de decoração pode ser um desafio

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 07/04/2015 11:35 / atualizado em 07/04/2015 11:50 Gláucia Chaves
Neste ambiente, o piso e a parede, com cores e texturas lisas, viabilizam a harmonia dos padrões. Os móveis, da Westwing, também conversam graças ao vermelho, que funciona como um ponto de convergência entre as peças  - Westwing/Divulgao Neste ambiente, o piso e a parede, com cores e texturas lisas, viabilizam a harmonia dos padrões. Os móveis, da Westwing, também conversam graças ao vermelho, que funciona como um ponto de convergência entre as peças


A decoração, assim como a moda, segue tendências e modismos que mudam de tempos em tempos. Os móveis estampados, por exemplo, vieram com tudo. Chevron, poá, grafismos, motivos étnicos etc. — a gama de desenhos é imensa. Isoladamente, os objetos parecem se bastar, mas o problema começa na hora de colocá-los dentro de casa. Se o ambiente já tem elementos estampados, como cortinas, almofadas ou tapetes, inserir novo móvel pode ser um desafio. “As estampas servem para sair do óbvio e dar vida à decoração quando ela começa a ficar sem graça”, defende Alexandra Tobler, fundadora e diretora de estilo da Westwing.

Quando as paredes e os pisos são lisos, é possível ter um pouco mais de liberdade. A dica da profissional é usar a peça como destaque, para quebrar a linearidade visual. “Se você tiver uma base neutra, ficará muito mais fácil decorar com um móvel estampado”, reforça Tobler. Se o ambiente é mais lúdico, como o quarto das crianças, vale brincar um pouco com a combinação dos tons. “Você pode ter um tapete divertido e listrado no mesmo espaço que uma mesa em fórmica estampada”, sugere. “O importante é ter pontos visuais que equilibram o conjunto.”

Para Beatriz Calza, diretora de criação da Möblia, a estampa precisa combinar com a composição do ambiente, mas também traduzir o estilo do morador e integrar a própria peça, em relação a material e cores. “Uma estampa floral delicada em tons pastéis talvez não combine com um móvel de cores fortes e composição marcada pela geometria, ou com um material muito pesado”, exemplifica a designer.

Leia mais notícias em Show Room

Isso não quer dizer que referências diferentes nunca funcionarão. A mistura, segundo Calza, pode dar certo, desde que o bom senso seja a tônica. Para não correr o risco de acabar com um ambiente poluído, a dica é fazer testes de combinação. “Pegar pedaços do material que pretende usar e testar as combinações com a sua parede, ou com outro móvel, ou com o tapete”, sugere a profissional.

Larissa Gulin, analista de mídias sociais e responsável pelo blog especializado em decoração Minha Casa, Minha Cara, explica que outra boa dica é escolher uma estampa que não “canse”, ou seja, com uma padronagem que seja agradável a longo prazo, que combine com o estilo dos outros itens da casa e que realmente agrade. “Um móvel estampado chama bastante a atenção e torna-se automaticamente o ponto de interesse de um ambiente”, diz. “Para deixar tudo equilibrado, é necessário planejar combinações com outros móveis mais neutros.”

Mas e se o objetivo for criar um ambiente kitsch? Nesse caso, a noção estética do estilo permite combinações mais “soltas” e deixa o proprietário mais livre. “No kitsch, é mais importante a história dos objetos do que as combinações em si”, explica Gulin. Para que a liberdade não transforme o ambiente em um caos completo, o ideal é apostar sempre na mesma combinação de cores. “Diferentes estampas, como poás, xadrez, listras e floral, vão combinar entre si se compartilharem das mesmas cores, como azul-turquesa e verde, por exemplo.”

Padronagem harmoniosa

1 - Para um morador que adora cores e estampas, mas ainda tem dúvidas de como combinar, é melhor começar aos poucos com pequenos móveis, como gaveteiros, banquinhos ou mesinhas laterais;

2 - Combinar estampas é possível, mas é melhor fazer um teste antes de promover mudanças estruturais e irreversíveis. Pode ser algo simples: um pedaço de tecido ou do papel de parede, ou imprimir a estampa na impressora de casa mesmo. Pegue essa amostra e coloque ao lado do material que você quer usar, no ambiente onde quer colocar o móvel. Tire fotos e examine as possibilidades;

3 - Investir em um tom predominante no ambiente e colocá-lo no meio de outras cores complementares na estampa também ajuda a manter a harmonia do ambiente;

4 - Para inserir mais de um móvel estampado no mesmo ambiente, uma dica é investir em uma base neutra. Se o tapete, a cortina, as almofadas e os demais móveis forem lisos e discretos, mais de um móvel estampado poderá decorar um só ambiente sem pesar;

5 - Procure combinar a mesma estampa nos dois móveis ou opte por tons iguais que respeitem a paleta de cores usada na decoração do espaço;

6 - Nem sempre as cores da estampa precisam necessariamente combinar com as outras da decoração. Estampas neutras, como a preta e a branca, ou a bege com a preta de uma estampa de onça, por exemplo, levam cores versáteis e, por isso, não precisam necessariamente combinar com o restante. Mas o ideal é que as demais estampas coloridas acompanhem a paleta de tons escolhida para o ambiente; e

7 - A base do ambiente faz toda a diferença. Inserir pontos de sobriedade e elementos mais calmos ajuda a não ter a sensação de excesso.

Fontes: Alexandra Tobler, fundadora e diretora de estilo da Westwing; Beatriz Calza, diretora de criação da Möblia; Larissa Gulin, analista de mídias sociais da Meu Móvel de Madeira.

Anúncios do Lugar Certo

Outros artigos

ver todas
19 de fevereiro de 2016
15 de janeiro de 2016
04 de janeiro de 2016
17 de dezembro de 2015
27 de agosto de 2015