Correio Braziliense
  • RSS RSS
  • Você está em
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Grilagem pode transformar Vicente Pires em grande condomínio irregular Até faixas com a oferta de lotes estão afixadas em árvores, na pista que liga Taguatinga a Ceilândia e até dentro dos espaços parcelados da colônia agrícola

Gizella Rodrigues - Correio Braziliense

Publicação: 25/04/2013 10:21 Atualização:

As chácaras da Colônia Agrícola 26 de Setembro foram fracionadas em terrenos de vários tamanhos, onde há uma casa construída em cada: lotes usados para assentamento de famílias na década de 1990 (Ronaldo de Oliveira/CB/D.A Press)
As chácaras da Colônia Agrícola 26 de Setembro foram fracionadas em terrenos de vários tamanhos, onde há uma casa construída em cada: lotes usados para assentamento de famílias na década de 1990
 
Uma área pública usada para assentar 134 famílias na década de 1990 passa por parcelamento irregular e ameaça duas importantes unidades de conservação do Distrito Federal. As chácaras da Colônia Agrícola 26 de Setembro, entre Taguatinga e Brazlândia, têm sido negociadas, divididas em lotes e, aos poucos, se transformam em zona urbana. A ilegalidade ocorre desde que o local servia apenas como assentamento, mas se intensificou nos últimos três anos. O terreno é do tamanho de quase mil campos de futebol. Mais de 6 mil pessoas vivem ali, e a ocupação cresce tão rápido que ganhou o apelido de Vicente Pires 2. A identificação aparece em placa de igreja e na boca do povo.

Quando as famílias foram assentadas em 1996, cada chácara tinha tamanho que variava entre quatro e seis hectares. Realidade completamente diferente da vista atualmente no local. Primeiro, as propriedades foram subdivididas em frações de dois ou um hectare entre membros de uma mesma família, principalmente. Assim, as chácaras começaram a receber identificações, como 2A, 2B, 2C. Com o passar dos anos, grileiros entraram em ação no local e surgiram lotes ainda menores, com, em média, 400 metros quadrados, um processo parecido ao que ocorreu na antiga Colônia Agrícola Vicente Pires. Lá, cada área se transformou em um condomínio, onde hoje vivem quase 80 mil pessoas.

O Correio esteve na Colônia Agrícola 26 de Setembro na última terça-feira e flagrou o fracionamento ilegal das terras. A maioria dos terrenos está demarcada e tem uma casa simples construída. Os invasores usam materiais pré-moldados, que são mais baratos para o caso de ocorrerem derrubadas. Também são fáceis de serem montados, o que permite que imóveis sejam erguidos sem serem vistos pela fiscalização.
 
 
Tags:

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro, Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »