Apartamento intocado é descoberto em Paris após 72 anos e revela raridades

Como um túnel do tempo, imóvel de luxo que havia sido abandonado na década de 1940 foi reaberto e se mostrou uma grata surpresa para a família da proprietária

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 07/02/2014 08:00 / atualizado em 04/02/2014 11:32 Joana Gontijo /Lugar Certo
O imóvel de 140 m² pertencente a uma famosa atriz e socialite parisiense, Madame de Florian, que fugiu das tropas de Adolf Hitler na 2ª Guerra Mundial - Corbis/Divulgação O imóvel de 140 m² pertencente a uma famosa atriz e socialite parisiense, Madame de Florian, que fugiu das tropas de Adolf Hitler na 2ª Guerra Mundial

Um tesouro escondido no tempo. O retrato de uma época eternizada na mobília, nos adornos, nos quadros, e em detalhes que parecem trazer de volta a vida, revelando uma história em particular. Quando foi reaberto depois de mais de 70 anos, este luxuoso apartamento em Paris ressurgiu por trás da poeira completamente intocado e cheio de valiosas raridades, como se estivesse congelado para ser agora testemunho belo e imortal.


Corbis/Divulgação
O imóvel de 140 metros quadrados localizado em área nobre da capital francesa, próximo à célebre ópera Palais Garbier, estava fechado desde 1942. Pertencente a uma famosa - e abastada - atriz e socialite parisiense, Madame de Florian, foi abandonado quando a dona se viu obrigada a fugir das ameaças da 2ª Guerra Mundial com o avanço das tropas de Adolf Hitler. Ela foi embora deixando tudo para trás.

O apartamento foi descoberto somente depois que a mulher morreu, aos 91 anos, em 2010. Com a realização do inventário, a família teve conhecimento do bem a poucos passos da Igreja da Santíssima Trindade. Depois que Madame de Florian se mudou para o sul do país, nunca mais voltou ao local, apesar do fim do conflito. Mesmo assim, continuou pagando o aluguel, até o último dia de vida. Ninguém poderia imaginar o que continha a morada. Coube ao leiloeiro Olivier Choppin-Janvry adentrá-la e desvelar o mistério sobre tanta riqueza guardada.

“Havia um cheiro de poeira velha”, contou o leioleiro na ocasião sobre o que, na verdade, era a única tradução dos anos passados. Tudo mais estava íntegro, perfeitamente conservado, como se a casa esperasse, a qualquer momento, a volta de sua habitante. Objetos de arte, brinquedos antigos, móveis rebuscados, e até animais embalsamados eram parte do cenário quando Olivier entrou.

Corbis/Divulgação



E algo fabuloso ainda estava por acontecer. Um quadro despertou curiosidade especial. O retrato de uma jovem com um vestido em chiffon cor de rosa, fingindo timidez enquanto deixa o colo à mostra, apareceu como uma preciosidade da arte do século 19. Esta era uma obra discretamente listada no currículo do notável pintor italiano Giovanni Boldini, conhecido pela alta qualidade como retratista.

Uma apuração posterior, mais minuciosa, descobriu a referência à pintura em um livro publicado em 1951 pela viúva do artista. O registro da pose da avó da própria Madame de Florian, Marthe de Florian, aos 24 anos, feito em 1898, foi vendido por nada menos que 2,1 milhões de euros (quase R$ 7 milhões). O resto do apartamento continua intacto, e ainda não se sabe quando estará acessível ao público.


Tags: sustentabilidade

Anúncios do Lugar Certo

Últimas notícias

ver todas
05 de outubro de 2016
26 de setembro de 2016
23 de setembro de 2016