Pesquisa revela que produção moveleira deve crescer 3,5% em 2014

Entre 2009 e 2013, o segmento que mais cresceu em número de unidades produtoras foi o de móveis de madeira, com alta de 25%

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 18/03/2014 08:00 / atualizado em 17/03/2014 15:18 CorreioWeb /Lugar Certo
Setor registrou crescimento de 27,1% nos último cinco anos, passando de 370 milhões de peças produzidas em 2009 para 470 milhões em 2013 - Kleber Lima/CB/D.A Press Setor registrou crescimento de 27,1% nos último cinco anos, passando de 370 milhões de peças produzidas em 2009 para 470 milhões em 2013

Estudo denominado “Mercado Potencial de Móveis em Geral 2014” aponta que este ano, a produção de móveis deverá ter crescimento de 3,5% em volumes de peças, enquanto as importações deverão crescer 14,5% e as exportações 8,0%. O levantamento foi feito pelo núcleo de Inteligência de Mercado do Instituto de Estudos e Marketing Industrial (IEMI).

De acordo com a pesquisa, entre 2009 e 2013, o segmento que mais cresceu em número de unidades produtoras foi o de móveis de madeira, com alta de 25%, seguido pelo segmento de metal com 22%. Já os outros móveis cresceram apenas 2%.

“Hoje, o Brasil conta com 18,2 mil empresas produtoras que atuam no setor moveleiro nacional, juntas essas unidades são responsáveis por cerca de 300 mil pessoas empregadas, diretamente e indiretamente na produção. As regiões Sul e Sudeste concentram o maior número de unidades produtoras, com 39,6% e 38,5% do total, respectivamente. Em seguida a região Nordeste com 12,3%, a região Centro-oeste com 7,1% e por último a região Norte com 2,5%”, afirma Marcelo Prado, diretor do IEMI.

Ainda segundo o levantamento, em termos de produção, foi constatado uma alta no setor de 2,1% em 2013 em relação a 2012. Nos últimos cinco anos houve crescimento de 27,1%, passando de 370 milhões de peças produzidas em 2009 para 470 milhões de peças em 2013. Já o consumo aparente, que possui um resultado da produção aliado a importação e exportação, houve um crescimento de 29,4%, entre 2009 e 2013.

A participação dos importados sobre o consumo aparente nacional, em volume de peças, passou de 1,1% para 2,6% no período analisado. Já a participação dos exportados passou de 3,5% para 3,3%. Entre 2009 e 2013, as exportações caíram 10,4% em valores (em dólares), o que corresponde a um recuo de 2,7% ao ano. Já as importações aumentaram 2,7 vezes no mesmo período, um crescimento de 28,6% ao ano.

O país importou móveis principalmente da China, com 53,2% dos valores totais em 2013. Em seguida aparecem os Estados Unidos e a Itália, com 8% cada. As exportações têm como principal destino os Estados Unidos, com 17% dos valores totais em dólares de 2013. Em segundo lugar aparece o Reino Unido, com 14%, seguido do Peru com 7,4%.

Ocupação

Segundo dados preliminares do IEMI, os fabricantes de móveis chegaram na casa dos 300 mil empregos no setor, com um crescimento de 28% em relação a 2009, passando de 237 mil para 303 mil funcionários empregados direta e indiretamente no setor.

Tags: casa

Anúncios do Lugar Certo

Últimas notícias

ver todas
05 de outubro de 2016
26 de setembro de 2016
23 de setembro de 2016