Serviços oferecidos pelos condomínios no modo 'pay per use' agradam moradores

Empreendimentos residenciais e comerciais já começam a oferecer serviços diferenciados para pessoas que buscam comodidade e querem resolver problemas rotineiros sem sair do prédio

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 24/11/2014 11:27 Celina Aquino /Estado de Minas
Thiago Xavier, gerente de Marketing da Conartes, diz que os projetos de alto padrão são definidos com todas as possibilidades - Marcos Michelin/EM/D.A Press Thiago Xavier, gerente de Marketing da Conartes, diz que os projetos de alto padrão são definidos com todas as possibilidades


Precisa de alguém para passear com o cachorro, quer fazer uma massagem relaxante ou tem muita roupa para lavar? Você pode fazer tudo isso sem sair do seu prédio. Os novos empreendimentos em Belo Horizonte começam a oferecer os serviços pay per use para os condôminos que buscam comodidade. Como o nome já diz, eles se encaixam na lógica do usou, pagou. O mais comum é solicitar limpeza e arrumação, mas não há limite para agradar aos moradores. Os condomínios podem atender à demanda para pequenos reparos, lavanderia, pet care, personal trainer, salão de beleza, estética e muito mais.

Na visão do diretor da GW Administração de Condomínios, Gilberto Vespúcio, a tendência é aumentar a gama de serviços pay per use. “É cada vez maior a procura por apartamentos menores, como loft e estúdio, por solteiros e casais sem filhos, que não têm tempo para cuidar das tarefas domésticas. Moradores de condomínios-clube também procuram por esse tipo de serviço, até pela segurança”, comenta. No caso da arrumação, por exemplo, o condômino não precisa se preocupar em contratar uma diarista nem comprar produtos de limpeza. Ele ganha tempo e qualidade, já que o trabalho é executado por um profissional selecionado pela empresa terceirizada e a administradora fica responsável por fazer o controle e o pagamento.

Vespúcio destaca outras vantagens do pay per use. Os preços costumam ser mais em conta, considerando que a contratação envolverá um número maior de clientes. Além disso, o pagamento é feito por meio do boleto do condomínio, facilitando a vida do morador, que não precisa pagar a cada atendimento separadamente. O diretor da GW apenas alerta que a utilização desse tipo de serviço deve ser aprovada em assembleia. “Muitas construtoras estão lançando imóveis prevendo isso, às vezes já faz parte da convenção de condomínio”, diz. Alguns empreendimentos contam até com um concierge para administrar a agenda.

A Conartes é uma das construtoras que apostam em empreendimentos com serviços pay per use em Belo Horizonte. “Percebemos que tem tido uma grande demanda. A questão principal para o cliente é a comodidade de não precisar se deslocar ou enfrentar trânsito. A um elevador de distância ele consegue fazer exercícios e relaxar. Isso é qualidade de vida”, analisa o gerente de marketing Thiago Xavier. Por isso, a empresa passou a definir os projetos de alto padrão com todas as possibilidades, só dependendo de o condomínio assumir a administração dos serviços. As salas já são entregues mobiliadas e prontas para uso.

No espaço fitness, é comum ver os moradores usando os equipamentos de academia com o suporte de um personal trainer. A piscina com raia é pensada para quem quer fazer aulas de natação. Já o Espaço Mulher funciona como se fosse um minissalão de beleza, onde os condôminos podem arrumar o cabelo e fazer as unhas. “Outro item muito apreciado é o Espaço Massagem, normalmente próximo da sauna, em uma sala com leiaute relaxante e tranquilo. Pode ser usado também para terapias holísticas, acupuntura e procedimentos estéticos”, acrescenta Xavier. O mais recente lançamento da Conartes, Gran Maggiore, no Gutierrez, ainda terá quadra de tênis para aulas particulares.

Não apenas prédios residenciais contam com o pay per use. Há mais de 10 anos, a LRM oferece esse tipo de serviço em condomínios comerciais, inicialmente com telefonia e arrumação e agora limpeza, internet e TV a cabo, tudo por um preço mais acessível. “A pessoa teria que contratar uma faxineira avulsa, pagar a diária, vale- transporte e ainda comprar material de limpeza. Oferecemos a expertise de limpeza numa velocidade maior e muito mais barata”, informa a diretora da administradora de condomínios, Lúcia Helena Moreira Soares.

Anúncios do Lugar Certo

Últimas notícias

ver todas
05 de outubro de 2016
26 de setembro de 2016
23 de setembro de 2016