Itens de decoração são fabricados com lixo retirado dos oceanos

Lixo recolhido é transformado em joias, esculturas, bancos e brinquedos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 13/03/2015 08:02 / atualizado em 12/03/2015 19:33 CorreioWeb /Lugar Certo
The Ocean Cleanup/Divulgação


A acumulação de lixo nos mares atrai cada vez mais o engajamento de pessoas que desenvolvem ideias para resolver o problema. Um estudo publicado pela revista Science revelou que os oceanos recebem 8 milhões de toneladas de lixo plástico por ano. Esta realidade provocou a criação de três iniciativas que unem o design, a criatividade e a sustentabilidade para salvar os oceanos.

O primeiro deles foi desenvolvido por um adolescente de 19 anos. O holandês Boyan Slat, após ficar inconformado com a quantidade de plástico que viu em um mergulho na Grécia, criou um sistema capaz de separar e recolher parte do lixo dos oceanos. The Ocean Cleanup é um conjunto de barreiras em forma de “V” com 30km de comprimento e três metros de profundidade.

O sistema recolhe 65 m² de lixo por dia  - The Ocean Cleanup/Divulgação O sistema recolhe 65 m² de lixo por dia


Segundo um estudo desenvolvido para a ideia, o projeto não é prejudicial à vida marítima e é capaz de recolher 65 m² de lixo por dia. Outra vantagem é que o único custo seria a construção do sistema, já que o preço da manutenção seria pago com a reciclagem do material retirado.

Outra iniciativa que viu no lixo uma oportunidade para criar matéria prima é a Sea Chair. A arquiteta Azusa Murakami e o artista Alexander Groves se uniram para cunhar um banco com plástico achado nos oceanos. O principal objetivo do projeto é chamar atenção das pessoas para o problema da poluição.



Os criadores da iniciativa se envolveram com pescadores locais e, na própria embarcação, derreteram o material e criaram um banco com três pernas. A dupla também partilhou com o mundo o método e o móvel já foi replicado em diversos países.

Já a empresa queniana Ocean Sole recolhe chinelos abandonados nas praias e os transforma em brinquedos, jóias, esculturas e produtos de decoração. Tudo começou quando a fundadora da iniciativa, a bióloga Julie Church, ficou horrorizada ao ver a quantidade de lixo espalhado por uma praia.



As obras de arte da iniciativa são feitas por artistas locais e têm o objetivo de chamar atenção para a poluição dos oceanos e angariar dinheiro para a fundação Ocean Sole. A organização ainda dá trabalho para pessoas de zonas remotas e da capital da Quênia.

Reprodução/Facebook

Anúncios do Lugar Certo

Últimas notícias

ver todas
05 de outubro de 2016
26 de setembro de 2016
23 de setembro de 2016