Já é possível contratar arquiteto, decorador ou designer apenas para projetos pontuais

Mesmo não sendo uma grande obra, a consultoria técnica tem vantagens e o proprietário pode executar o projeto no tempo que desejar

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 05/05/2015 08:17 Lilian Monteiro /Estado de Minas
A arquiteta Virgínia Reis, da My Decor Book, entrega imagens em 3D para a cliente em book depois da consultoria  - Arquivo Pessoal/Divulgação A arquiteta Virgínia Reis, da My Decor Book, entrega imagens em 3D para a cliente em book depois da consultoria


O mercado de arquitetura tem inúmeras possibilidades. Hoje, é possível pensar na contratação de um arquiteto apenas para prestar consultoria ou acompanhar uma obra. Ou seja, o cliente não é obrigado a ter a presença do profissional atrelada à criação de um projeto arquitetônico, onde estão previstas todas as mudanças e soluções de acordo com o espaço e suas vontades. Se a reforma é simples, nada mais prático e livre de erro do que contratar um especialista. E o serviço pode ser acordado diante de suas necessidades, como a melhor opção de mão de obra, acabamentos e produtos.

Uma transformação pontual provocada pela chegada de um novo membro na família, pela necessidade de criar um home-office ou pelo simples desejo de mudar. É possível, sim, ter um profissional para ajudá-lo. A consultoria técnica é uma alternativa simples e eficaz que não é só feita pelo arquiteto, mas por decoradores e designers de interiores. A arquiteta Ivana Seabra explica que esse serviço “é ideal para um ambiente, e não para todo o imóvel. O cliente vai receber orientações de como fazer um novo leiaute, o que deve adquirir e como criar harmonia de tudo que o ambiente comporta. Feito isso, o cliente fará todo o resto sozinho”.

Ivana revela que acaba de ser contratada para dar consultoria na mudança de uma varanda. “Ela não está decorada, a cliente pensa num banco de madeira com almofadas, mas não sabe como fazer. Vou passar todas as possibilidades, olhar o espaço e, de trena em mãos, faço as medições, indicação de móveis, plantas, quadros, enfim, todas as orientações possíveis. Geralmente, a consultoria dura entre uma e três horas.”

Arquiteta Ivana Seabra deu um toque especial à varanda com as modificações propostas - Célio Diniz/Divulgação Arquiteta Ivana Seabra deu um toque especial à varanda com as modificações propostas


Leia mais notícias em Últimas

A arquiteta garante que o custo/benefício é dos melhores. “Fica bem mais em conta. O preço depende do profissional, muitos não aceitam e só fecham o imóvel completo. Em média, o custo por uma hora é de R$ 250. No meu caso, dou dicas para harmonizar o ambiente, o que não terá o impacto de um projeto completo, mas certamente dará um up no espaço. E a consultoria pode ser para mudar uma sala já montada que queira dar uma cara diferente, um quarto vazio ou mesmo para solucionar a dúvida de escolher ou não um papel de parede para o escritório, uma cor para a sala ou se o ideal é cortina ou persiana. Falo ainda sobre o reaproveitamento de peças, se vale, por exemplo, laquear um móvel, redefinir uma cortina, que, com olhar técnico, pode ser a responsável pela desarmonia de um espaço, e assim criar uma nova composição para o ambiente.”

No entanto, Ivana recomenda a consultoria para clientes que tenham visão estética mais apurada. Eles vão ter mais facilidade de “levar” a obra ou mudança sem um técnico do lado. “E que também tenham visão espacial, já que vão conduzir o projeto sozinhos, vão garimpar os móveis, fazer as compras e é preciso um olhar detalhista. No meu caso, ao final da consultoria, entrego um descritivo, um relatório via e-mail e celular para que o cliente tenha tudo à mão para fazer as aquisições sem erro.”

BOOK
Já a arquiteta Virgínia Reis, da My Decor Book, alerta que o primeiro passo é o cliente gostar do portfólio do profissional, se identificar com o trabalho, “porque o gosto pessoal, de alguma maneira, estará presente e atrelado ao projeto. Assim, o cliente terá mais segurança e a assistência necessária”.

Em outro projeto, Ivana Seabra apresenta soluções criativas para uma sala  - Célio Diniz/Divulgação Em outro projeto, Ivana Seabra apresenta soluções criativas para uma sala


Virgínia explica que presta um serviço diferente da conhecida consultoria. “Funciona quase como um projeto tradicional, a única diferença é que não tem acompanhamento técnico. Entrego um book hiperdetalhado com imagem 3D (onde verá toda a concepção, o ambiente pronto), leiaute, legendas de cada peça do mobiliário, foto, o descritivo, fornecedores, a loja e o vendedor.” Ela destaca que, no book, o cliente ainda recebe uma planilha com cada custo. “Ele vê o preço total do ambiente, o que pode priorizar e pontua com certeza o que pode fazer naquele momento ou se prefere adiar.”

Além do book, Virgínia conta que pode ser contratada para uma visita técnica à parte. “De repente, o cliente ficou em dúvida, quer mudar o tecido que escolhi. Então, por até duas horas posso acompanhá-lo a uma loja. Mas só faço isso se já tiver entregado o book.” A arquiteta revela que, para um ambiente até 20 metros quadrados (m²), o book custa R$ 960, de 21m² a 40m² o valor é R$ 1.360 e, acima de 40m², uma sala integrada, por exemplo, com jantar, estar e home-office, é R$ 1.960. “Minha visita técnica, até duas horas, custa R$ 210. E para o book acima de dois ambientes, dou 5% de desconto.”

Anúncios do Lugar Certo

Últimas notícias

ver todas
05 de outubro de 2016
26 de setembro de 2016
23 de setembro de 2016