Ter animais em apartamento exige bom senso, diz especialista

Definir regras e redobrar cuidados é necessário para manter a paz no prédio

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 27/10/2015 09:00 CorreioWeb /Lugar Certo
Reprodução


Viver com animais em apartamentos hoje em dia é muito comum. Há, porém, certas regras que devem ser seguidas pelos moradores. De acordo com Daphnis Citti de Lauro, sócio de uma empresa que administra condomínios, locações e atua como síndica terceirizada, o assunto está sempre em pauta por causa da falha na busca por informações. “Antes de adotar um animal, como cachorros, por exemplo, é necessário pesquisar se vão crescer muito, se serão adequados para o espaço que lhes será destinado, se pertencem a raças ruidosas e com tendência agressiva”, informa.

Outro ponto a ser ponderado em relação aos cães é que alguns são muito dependentes e sofrem quando ficam sozinhos por muito tempo. “Passam a latir a todo instante e até mesmo a uivar, para incômodo dos vizinhos e sofrimento dos próprios animais.”

Leia mais notícias em Últimas

Segundo o artigo 1.336 do Código Civil, legislação vigente para os condomínios no Brasil, é dever do condômino “dar às suas partes a mesma destinação que tem a edificação e não utilizar de maneira prejudicial ao sossego, salubridade e segurança dos possuidores, ou aos bons costumes”. De acordo com Daphnis, os aspectos “sossego, salubridade e segurança” também dizem respeito aos animais.

O especialista em condomínios diz ainda que, apesar de não haver norma restringindo o número de animais em um apartamento, a regra a ser seguida é o bom senso. “O tamanho tem que ser adequado e deve-se levar também em consideração, além do barulho, o mau cheiro que muitos animais podem ocasionar”, finaliza.

Anúncios do Lugar Certo

Últimas notícias

ver todas
05 de outubro de 2016
26 de setembro de 2016
23 de setembro de 2016