Especialistas ensinam truques para mudar o visual do lar

Transformar cômodos dentro de casa para ganhar espaço ou simplesmente dar novo uso a eles requer planejamento

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 20/02/2013 08:00 Júnia Leticia /Estado de Minas
Distribuição correta de móveis é essencial para quem busca o melhor aproveitamento de áreas dentro de casa. Em determinadas ocasiões, peças sob medida são indispensáveis - Eduardo de Almeida/RA Studio Distribuição correta de móveis é essencial para quem busca o melhor aproveitamento de áreas dentro de casa. Em determinadas ocasiões, peças sob medida são indispensáveis
 
Quem não passou pela experiência de ter que usar a criatividade para adaptar os ambientes da casa a novas necessidades, seja uma segunda cama em um quarto, um espaço para escritório na sala ou a união de ambientes para ganhar mobilidade e amplitude. Nessa hora, é preciso aproveitar ao máximo todas as possibilidades dos ambientes? A otimização de áreas e nichos nos cômodos leva a um real aproveitamento do imóvel, deixando-o maior e mais confortável.

Com alguns truques é possível mudar a cara do lar. Segundo a arquiteta e design de interiores Valéria Alves, um deles é apostar em espelhos, grandes ou pequenos, que podem cobrir toda uma parede ou parte dela. “Outra dica é usar nas paredes uma única cor, deixando o piso no mesmo tom, mesmo que seja com um grande tapete. O teto deve acompanhar essa tonalidade. As cores claras são as mais indicadas, sendo que as variações do branco dão os melhores resultados”.

A designer da Lider Interiores Renata Araújo diz que cores claras e espelhos são muito bem-vindos. “Móveis versáteis – como mesas ninhos –, sofás-camas, box com baú, estantes que servem para armazenamento e organização, bicamas para quartos, painéis e armários bem divididos que auxiliaram na organização do espaço também favorecem os ambientes. É fundamental que o espaço pequeno seja prático e funcional”, afirma.

Para isso, a designer de interiores diz que os primeiros aspectos a serem levados em consideração são o tamanho do espaço e as necessidades dos clientes. “Depois dessa análise, um mobiliário de tamanho adequado, que não sobrecarregue o ambiente, sempre visando o conforto e a praticidade. O espaço pequeno tem que ser bem pensado. É preciso haver harmonia e equilíbrio”, ressalta Renata.

De acordo com a decoradora Dênia Diniz, o mais importante nesse tipo de projeto é o leiaute, que deve ser bem elaborado. “A boa distribuição dos móveis e a boa circulação entre eles é fundamental. Deve-se avaliar a iluminação natural e a altura do pé-direito, para assim partir para a escolha de cores e materiais. Integrar ambientes é uma excelente solução. Em vez de vários espaços pequenos, um só espaço que reúne muitas funções”, recomenda.

Valéria Alves destaca a importância da escolha adequada de outros elementos na composição. Armários, essências para organizar bem a casa, são alguns deles. “Opte por aqueles que cubram a parede do piso ao teto. Escolha tonalidades também claras e deixe a luz natural entrar o máximo possível.” Cortinas também ajuda. “Elas devem cobrir a parede do piso ao teto”, explica.

RECICLAR

Para promover essa adaptação sem gastar muito – afinal, estamos falando de adequar os ambientes a novas necessidades –, algumas soluções são muito bem-vindas, como indica Valéria. “Os estofados podem passar por uma reciclagem com a troca de tecidos. Outros móveis e armários existentes também podem passar por uma nova pintura ou clareamento.”

Eduardo de Almeida/RA Studio
 
Investir em espelhos também pode ser uma ideia econômica. “Uma parede revestida com eles pode ser feita por qualquer pessoa. Compre os espelhos em tamanhos menores e faça um mosaico, que poderá ser colado diretamente na parede. Se colocados em local que recebe a luz natural, vão dar dimensões maiores ao ambiente e também valorizar a decoração”, sugere Valéria.

Para Renata Araújo, o que será determinante nesse tipo de investimento são as escolhas para fazer as adaptações. “Atualmente, temos grandes variedades e opções de preço. É necessária uma análise de quanto o cliente tem disponível para decorar o espaço.”

Transformação sob medida

Para que escolha dos recursos realmente proporcionem o resultado esperado, é preciso analisar as necessidades dos moradores antes de definir os móveis e o estilo do projeto

Para que as soluções dadas pelas profissionais sejam realmente e ficazes,é necessário analisar o espaço e as necessidades dos moradores. Ao decorar um espaço pequeno, é preciso fazer uma análise bem detalhada de seu tamanho e o que atenderia ou não. Espelhos são recomendados, mas sem excesso. O ideal é usá-los em lugares estratégicos que ajudam a ampliar o espaço.

Eduardo de Almeida/RA Studio
A decoradora Dênia Diniz afirma que na escolha de móveis, cores e materiais o mais importante é que eles criem identidade com o morador. Para possibilitar isso, vale ainda investir na iluminação, que permite criar várias cenas em um único espaço. “Assim, no mesmo local criam-se momentos de relaxamento, estudo, conversas, leitura enamoro”, defende. Além do critério personalização, as possibilidades do ambiente também devem ser consideradas, como acrescenta a arquiteta Valéria Alves. “Deve-se procurar alternativas se as paredes forem irregulares – dificultando a colocação de espelhos – ou vãos não puderem ser abertos devido às paredes serem estruturais”.

Recentemente, Valéria finalizou um projeto de reforma no qual foram utilizados esses recursos. O projeto do imóvel, um apartamento de 46 metros quadrados – localizado no Bairro Ouro Preto, na Pampulha, em Belo Horizonte –, teve como desafio possibilitar a ampliação dos ambientes para que a moradora pudesse receber confortavelmente a família e os muitos amigos.

Para esse apartamento, a arquiteta criou um projeto de forma a oferecer uma solução inteligente sem limitar os espaços. “Na sala, foram criados três ambientes distintos, com uma mesa de jantar para seis pessoas, espaço para TV com estofado e bar com pufes”, conta Valéria. O quarto de hóspedes foi adaptado para receber duas pessoas e ainda conta com mini escritório. “O quarto principal, além de uma cama e espaço confortável para circulação, recebeu um grande armário. A cozinha, para privilegiar a organização, recebeu vários armários e gaveteiros, totalmente planejados”.

Na iluminação dos ambientes, a estratégia foi valorizar a entrada de luz natural usando a cor branca em abundância, principalmente nos armários. Espelhos revestindo as paredes da sala e quarto ajudaram a ampliar o ambiente. “Apartamento ou casa pequena não é sinônimo de falta de conforto e aconchego. Com criatividade e bom gosto todos os espaços podem ser transformados”, defende Valéria Alves.

LEVEZA

Eduardo de Almeida/RA Studio
Além dessas orientações, a arquiteta dá outras dicas do que dá certo na elaboração de um projeto como esse.“Não deixe o ambiente muito cheio de móveis e eleja pelo menos um com tamanho maior. Escolha piso igual em todos os ambientes para passar a sensação de uma casa maior. Também troque estampas de cadeiras e sofás por tecidos lisos e restrinja o uso de cores fortes. Tons muito claros e uniformes ampliam o ambiente”.

Para evitar ambientes desagradáveis esteticamente e desconfortáveis, Valéria recomenda que seja evitado o uso de piso de mosaico ou de peças muito pequenas. “Pior ainda se as peças forem desenhadas, com cada parede de uma cor e com cores fortes. Também deve-se evitar tanto o ambiente cheio de móveis quanto de adornos,móveis menores do que seria o padrão e cortinas de tecido curtas”, enumera.

Mobiliário desproporcional ao ambiente, grandes demais e muitos objetos e cores fortes demais são as ressalvas da designer de interiores Renata Araújo. “O que dá certo na elaboração desse projeto é investir em espelhos, cores claras, móveis versáteis e, para organizar, mobiliários com vidros ou transparências e iluminação.” Mas ao investir em espelhos é preciso atenção ao que eles vão refletir, como alerta Dênia Diniz. “Nada de duplicar o que não merece ser valorizado.Quanto às cores, não é proibido usar tons mais fortes, mas é preciso ter cuidado ao empregá-los, para não diminuir visualmente os ambientes. Aposte também em persianas nas cortinas. Elas têm pouco volume, não precisam ir até o chão e existem modelos de tecidos e palhas que dão ar aconchegante aos ambientes”.

Versatilidade a toda prova

Para aproveitar de forma inteligente os espaços é imprescindível criatividade, segundo a arquiteta Valéria Alves.Assim, é possível reduzir custos e realizar reformas que cabem no bolso de qualquer

pessoa. Aliado a isso, vem o conforto, que não deve ser esquecido. “Para tornar os ambientes aconchegantes, use almofadas nos sofás. Elas podem facilmente ser feitas em casa – com zíper, de preferência, para facilitar a lavagem–e frequentemente mudadas para dar um ar de novo ao espaço. Arranjos com flores da estação também sempre são bem-vindos e o custo fica bem em conta”.

Eduardo de Almeida/RA Studio
A arquiteta indica, ainda, o uso de tapetes fáceis de serem limpos e lavados, que sejam lisos e, preferencialmente, claros.“Mas existem muitas lojas especializadas e shoppings temáticos onde qual quer pessoa encontra uma gama de produtos e especificações, para realizar a transformação do seu ambiente”, diz Valéria.

As cores claras e os móveis versáteis, além de passar a sensação de que o espaço é maior do que ele realmente é, são as escolhas mais acertadas por quem quer torná-los aconchegantes, segundo a designer de interiores Renata Araújo.“Móveis com tons claros, sejam de madeiras ou lacas, podendo optar por uma cartela monocromática, também são boas opções”.

Apostar em peças planejadas é outra boa pedida, de acordo com a decoradora Dênia Diniz. Segundo ela, investir no desenho de móveis personalizados possibilita o aproveitamento de cada canto do ambiente. “Quanto a tendências nesse tipo de projeto, vale a criação de espaços multiuso, com repetição de materiais e variação visual por meio de iluminação e complementos”, indica.

Diante de tantas alternativas, para quem quer ter mais segurança na hora de otimizar espaços, a melhor alternativa é contar com a assessoria de um profissional especializado. O valor cobrado por ele vai depender do espaço a ser trabalhado, segundo Valéria Alves. “O custo do projeto ou do ambiente está diretamente relacionado ao seu tamanho e às dificuldades de execução.O projeto de um espaço de 25m2 pode variar de R$ 1,8 mil a R$3mil”, informa.

Três perguntas para Fátima da Matta, designer de interiores



Quais as melhores alternativas para adaptar os ambientes a novas necessidades, principalmente no caso de imóveis pequenos?

Ampliação de ambientes conjugando espaços é uma das soluções para um bom dimensionamento. O uso de cores claras, como o branco, em portas de passagem, paredes, tetos e pisos, de iluminação adequada e de espelhos deve considerado nesse tipo de projeto. Mas tudo deve ser utilizado de acordo com a viabilidade da estrutura dos espaços, funcionalidade e necessidade dos moradores.


Quais são as soluções mais modernas, funcionais e baratas atualmente para se fazer isso?

Existem no mercado vários materiais que podemos utilizar para soluções funcionais e modernas.Ouso do vidro e do espelho, por exemplo, traz modernidade, beleza e funcionalidade, abrindo espaços com suas várias utilizações, como paredes e divisórias.

Como tornar os ambientes aconchegantes, práticos e funcionais gastando pouco?

Investindo em poucos objetos, para não diminuir o espaço e causar poluição visual, ousando no branco, em materiais cromados e vidros, e utilizando móveis apenas o necessário por ambiente. A tendência para esse tipo de projeto é embutir não só equipamentos elétricos e eletrônicos como também camas e mesas.

Anúncios do Lugar Certo

Outros artigos

ver todas
05 de outubro de 2016
26 de setembro de 2016
23 de setembro de 2016