Frescor de cada dia

Mais do que funcionais, os ventiladores podem ser um elemento decorativo. Com os avanços tecnológicos, eles se tornaram verdadeiras peças de design

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 18/03/2013 11:15 / atualizado em 18/03/2013 11:27

Não é de hoje que os ventiladores ajudam a refrescar o ambiente. Há mais de um século, eles estão em salas, varandas e cozinhas de todo o mundo. Em 1882, o engenheiro alemão Philip H. Diehl criou o primeiro ventilador de teto moderno. Eram feitos com pás de latão, por isso não ofereciam muita segurança. No Brasil, até a década de 1970, os aparelhos eram sempre muito parecidos. Porém, com o avanço tecnológico, designers começaram a inovar. E, segundo a arquiteta Flávia Lencastre, já é possível juntar conforto e decoração. “O ventilador pode ter duas funções: decorativa e climatizadora. Em ambiente moderno, arrojado e clean, optamos por modelos em inox, colorido ou com alta tecnologia”, exemplifica. Para espaços ao ar livre, Flávia indica peças que tenham a ver com o local. “Casa de campo, de praia e piscina pedem materiais naturais, como palha, madeira, tecido e ferro.”

A dica é equilibrar o ambiente. Se o local já tiver muita cor, o ventilador deve ser neutro ou ter o mesmo tom do teto. Mas se o lugar for mais informal, o decorador pode abusar de cores e materiais diferentes. Como são vários os tipos de circuladores e ventiladores disponíveis, antes de comprar, é preciso descobrir qual é a sua necessidade. A decoradora Ângela Brito explica que cada ambiente pede um modelo. “Os ventiladores de teto, por exemplo, maiores e mais eficientes, são indicados para ambientes de médio e grande porte”, recomenda.

Os fabricantes começaram a inovar na escolha dos materiais. Inox, aço fundido e madeira, antes usados só em ventiladores de grandes prédios, passaram a ocupar também residências. Exemplo é o Ultimate, da Arno, um ventilador de teto na cor prata-fosca que dá ar moderno ao cômodo. Os modelos arquitetônicos também ganham espaço nas casas descoladas: o Arden alude à prancheta de um arquiteto. Um dos pioneiros na área foi Guto Índio. Em 2001, o artista criou o premiado ventilador de teto Spirit, com apenas duas hélices, inspirado no avião Spirit of Saint Louis. Índio mostrou que é possível unir conforto, modernismo e decoração. Para quem não gosta de pás e ainda assim prefere um modelo moderno, o mais indicado é o Air Multiplier, desenvolvido pelo designer James Dyson, que usa a mesma tecnologia de um motor a jato: o fluxo de ar passa por um anel, que multiplica a força do vento em 15 vezes.

 

 

 

Arno Ultimate


Design clean e moderno. As pás do equipamento são transparentes e não fazem ruído. A iluminação é outra vantagem, pois o globo do produto tem uma altura lateral considerável. Inclui um controle remoto em formato slim, com funções que possibilita a redução da rotação durante a madrugada e timer de até oito horas (R$ 349,99).

 

 

Spirit Turma da Mônica


Para as crianças, conta com quatro produtos estampados com as turmas clássica e baby. Oferece os personagens Mônica, Cebolinha, Cascão e Magali (R$ 359)

 

 

 

Folha de Palmeira
Com motor Ouro Velho, cinco pás em fibra natural asiática, o ventilador de teto decorativo típico da Indonésia, da Wind Point, acompanha controle remoto e tem três velocidades: alta, média e baixa (R$ 1.990)

 

 

 

Circuladores Brizair
Os circuladores Pali C 201, com apenas 20cm de altura, podem ser usados no chão ou sobre a mesa. São ideais para viagens, quartos de jovens, crianças ou home offices. Disponível nas cores amarela, azul, branca e púrpura (R$ 59,90)

 

 

 

Neovent


É um ventilador sem pás (lâminas) e com fluxo de ar continuo. Tem design inovador e elimina dois problemas causados pelo uso de lâminas dos ventiladores comuns: o perigo que oferecia para crianças e animais domésticos e a dificuldade de limpeza devido à grade protetora. O Neovent usa um mecanismo que passa o fluxo de ar por um impulsor que multiplica sua força em 15 vezes. Disponível nas cores vermelha, roxa, azul e branca (R$ 224)

 

Com que ventilador eu vou?


•    Teto: ótimo para quem quer economizar, é uma alternativa ao ar-condicionado. Usa o sistema de exaustação, ou seja, pode servir tanto para aquecer quanto para esfriar o ambiente.
•    Mesa: ventiladores de baixa potência, ideais para escritórios ou locais onde se necessita de pouca ventilação.
•    Coluna ou pedestal: podem ser colocados em qualquer lugar da casa. O ponto-chave é a mobilidade. São encontrados nos modelos de pés, torre, circulares e quadrados.

 

 

Tripé Arden


Ventilador pedestal com tripé, em acabamento nogueira. Com linhas limpas e clássicas, tem a chave de controle rotativa com três velocidades do motor, cabo de alimentação de 2,4m, oscilação de 50 graus e dois acabamentos, em bronze e níquel acetinado (R$ 1.260)



 

Ventilador de coluna Britânia Inox


Ventilador de inox, indicado para ambientes modernos. Tem três velocidades, hélice com diâmetro de 40cm e altura ajustável de 110cm a 140cm. A grade removível facilita a limpeza do aparelho (R$ 199)

 

 

 

 

USB Uatt


Ventilador retrô que pode ser ligado ao USB. Prático para quem passa horas em frente ao computador. Disponível nas cores branca, azul e vermelha (R$ 80)

 

 

Spirit — Linha wind prime 203
Ventilador de teto com apenas duas pás. Feito de policarbonato injetado, mesmo composto das janelas dos aviões e dos escudos da Polícia Militar. Tem 1,14m de diâmetro. Disponível nas cores vermelha, índigo, verde-neon, tangerina, grafite, rosa-neon, cristal e branca (R$ 299)

Tags: condomínio,

Anúncios do Lugar Certo

Outros artigos

ver todas
05 de outubro de 2016
26 de setembro de 2016
23 de setembro de 2016