Papéis de parede podem ser aplicados em vários ambientes

Divertidos ou sóbrios, o produto volta a ter destaque na decoração com apoio da tecnologia

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 07/05/2013 08:00 / atualizado em 07/05/2013 10:05 Júnia Leticia /Estado de Minas
Eduardo de Almeida/RA Studio
A casa precisa de outra cara, um novo tom, mas as ideias se esgotaram nos galões de tinta, até que surgem alternativas que ganham cada vez mais espaço na decoração: papéis de parede. Cada vez mais populares, tecnológicos e plurais, com flores, geometrias, listras, entre outras opções, eles possibilitam uma infinidade de escolhas para todos os gostos e ambientes. Usados em qualquer espaço interno, eles criam uma gama de possibilidades para a decoração. “Salas, quartos e lavabos são ideais para eles. Cozinhas e banheiros também podem recebê-los, mas com alguns cuidados. Nos banheiros, a cola não deve ser à base de água, para não desgrudar com a umidade e, de preferência, o ambiente deve ser bem arejado. Na cozinha, o ideal é o uso do papel vinílico (emborrachado), que permite a limpeza com água para retirar a gordura”, explica a designer de interiores Daniela Lauar.

Adepta do recurso, a arquiteta Andréa Paim Lima de Almeida diz que papéis de parede são uma ótima opção para quem quer renovar o visual de sua casa de uma maneira fácil, prática, limpa e sem cheiro. “Eles podem ser aplicados em paredes, tetos, portas, móveis, enfim, no que a imaginação permitir, desde que levadas em consideração as características da superfície onde serão aplicados e a concepção do projeto de arquitetura de interior.”

Entre as opções de papéis disponíveis no mercado, o designer de interiores João Pedro Salomão informa que há os decorativos e os tecnológicos, que são impermeáveis e têm função acústica e térmica. Mas antes de optar por uma dessas alternativas, tem de se levar em consideração o ambiente ao redor. “É preciso fazer um estudo de cor e de texturas dos demais elementos que serão utilizados neste mesmo ambiente”, acrescenta.

Sócia-diretora da Ana Luiza Decorações, Sandra Viana confirma que o papel de parede vem marcando forte presença na decoração. “E devido ao grande aumento na procura, os fornecedores estão produzindo um gama cada vez maior de opções, tanto em cores, modelos, como texturas e aplicações. Existem papéis feitos de seda, drapeado, palha, textura e camurça, entre outros.”


"Os mais ousados podem abusar das cores fortes, grafismos e até misturar estampas, criando um ambiente superexclusivo" - Daniela Lauar, designer de interiores
PREPARAÇÃO

No entanto, antes de empregá-los é preciso observar a qualidade e o estado das paredes, como aconselha Sandra. Considerados esses aspectos, o uso do recurso tem diversas vantagens. “Por si só já é uma peça decorativa, pois pode ser encontrado em diversas cores, modelos e até mesmo dando a impressão de ser de diferentes materiais. São recursos que a tinta não oferece de compor um ambiente mais elaborado.”

Além de proteger e revestir a parede, a arquiteta Juliana Paim Lima conta que os papéis são muito decorativos. “Seus desenhos, texturas e cores podem tornar os ambientes aconchegantes, divertidos, excitantes ou mesmo sóbrios conforme o objetivo desejado. Há os vinílicos, papéis de seda, de palha, de bambu e de cortiça – esses últimos com fibras naturais.”

Para empregá-los, devem ser levado em consideração as dimensões do espaço, o pé-direito do cômodo, a luminosidade do local, além, é claro, do gosto pessoal de cada um, como enumera Juliana. “É importante, também, criar uma relação entre o papel especificado, o mobiliário escolhido e as cores do ambiente”, completa.

Nesse quesito, Daniela Lauar diz que não há regras preestabelecidas. Tudo vai depender, sim, do estilo da casa e do gosto dos moradores. “Os mais ousados podem abusar das cores fortes, grafismos e até misturar estampas, criando um ambiente superexclusivo. Mas se estiver com medo de errar na escolha, a dica é optar sempre pelos mais neutros, em que dominam texturas naturais e cores como o off white (branco), nude (bege) ou cinza.”


Eduardo de Almeida/RA Studio
 
Sem exageros pela casa
Como são muito decorativos, os papéis de parede exigem cuidados na hora da aplicação. Consultar profissional é indicado para garantir harmonia e conforto visual aos ambientes


Sabendo utilizar os papéis de parede de forma harmoniosa, os resultados são surpreendentes. Para isso, é preciso ficar atento à escolha. Assim como o uso de espelhos na decoração, é um perigo exagerar e cair no mau gosto. A dica da arquiteta Andréa Almeida para que o resultado não seja desagradável é que o recurso empregado deve ser compatível com as características do ambiente e a pessoa que vai utilizá-lo. “Um papel usado em um quarto de criança não deverá ter as mesmas características de uma sala de estar. Deve-se levar em consideração também o estilo da construção na qual o ambiente está inserido, o mobiliário e as cores existentes naquele espaço.” Na dúvida, a recomendação é que um profissional de arquitetura ou de decoração seja consultado.

A designer de interiores Daniela Lauar também justifica a contratação de um profissional, que segundo ela é o ideal para ajudar a escolher e combinar os papéis com a decoração da casa. “Eles criam um espaço confortável, deixam o ambiente mais aconchegante. Se bem combinados, eles conferem personalidade aos espaços. Padrões geométricos, estampas clássicas e texturas naturais que seriam apenas coadjuvantes, muitas vezes se transformam no ponto alto da decoração.”

Com a consultoria poderá se conhecer e tomar partido da forma adequada das tendências mundiais que já começam a chegar por aqui. “Lançamentos que foram apresentados na feira da Alemanha mostram papéis com rolos com largura de 1,5 metro. A maior vantagem deles é apresentar menos emendas”, explica Daniela.

DESENHOS
Para quem não vai consultar um profissional, a recomendação da arquiteta Juliana Lima é optar por papéis geométricos com texturas e listras, que são tendências. De acordo com ela, os últimos nunca saem de moda. “Eles são encontrados em lojas especializadas, sites e até mesmo em grandes lojas direcionadas à construção e acabamentos. Na hora da escolha, deve-se evitar colocá-los em mesas ou no chão. O material deve ser observado na vertical e em luz natural, evitando-se distorções nas cores e facilitando a visualização do resultado.”

 
As arquitetas Andréa e Juliana Paim dizem que tons neutros com textura valorizam adornos - Eduardo de Almeida/RA Studio As arquitetas Andréa e Juliana Paim dizem que tons neutros com textura valorizam adornos
 
 
Além dessa dica, Juliana diz que para uma sensação de amplitude, de aumento no pé-direito, o indicado é o uso de cores claras com listras verticais chegando até o teto. “As listras na horizontal ampliam visualmente a largura do ambiente. Já cores mais escuras, se aplicadas no teto, oferecem uma sensação de menor altura. Papéis de parede mais neutros ou apenas com alguma textura valorizam as peças e adornos já existentes no ambiente. Quando for estampado, o cuidado deve ser redobrado. Fica muito feio ver a emenda dos papéis pela estampa desencontrada.”

Quanto aos valores, Andréa Almeida diz que eles são variáveis conforme a marca, o fornecedor e a largura. Os nacionais são encontrados entre R$ 80 e R$ 200 o rolo e os importados, de R$ 300 a R$ 1,1 mil. “Normalmente, os papéis mais caros são vendidos por metro quadrado. As lojas especializadas, geralmente, têm os seus instaladores, que cobram, em média, R$ 150 por cada rolo instalado.”

FAÇA VOCÊ MESMO
Apesar de o mais seguro ser a contratação de uma pessoa habilitada para instalar o papel de parede, há quem prefira fazer a tarefa por contra própria. Nesse caso, a recomendação é escolher superfícies rígidas, sem irregularidades e que apresentem ligeira porosidade para permitir a aderência da cola. Se a superfície apresentar mofo ou alguma infiltração, o problema deve ser solucionado antes da aplicação do papel. “Outra dica é evitar instalá-lo em locais de passagem, pois com o tempo ele pode descolar nas laterais. O ideal é aplicá-lo de parede a parede ou em lugares que existam algum tipo de acabamento na sua finalização, como um alisar”, explica a arquiteta Juliana Paim Lima.

A designer de interiores Daniela Lauar acrescenta que é necessário verificar se a parede está limpa e sem imperfeições ou furos de pregos. Isso porque o papel não esconde defeitos e trincas, pelo contrário, ressalta as imperfeições da parede. “Quanto à aplicação da cola, deve ser uniforme e na quantidade exata para cobrir todo o papel sem excessos. Muita ou pouca cola prejudicará a aplicação do papel.”

Se a parede for pintada, é necessário apenas limpar a superfície, retirando qualquer sujeira, conforme Daniela. “Em parede que já tem papel de parede, é preciso retirar o antigo e deixar a superfície lisa e limpa novamente. É possível fazer a aplicação também naquelas que são de madeira ou azulejadas, desde que lisas e limpas, para evitar bolhas e ondulações. Paredes azulejadas podem receber a aplicação de massa e depois pintura. Em locais úmidos, como banheiros, o ideal é massa epóxi.”

MANUTENÇÃO
Assim como todo item da decoração, os papéis de parede devem ser limpos para ter sua vida útil e beleza prolongados, como aponta Daniela Lauar. “De modo geral, para limpeza, use apenas produtos neutros, nunca abrasivos e não se esqueça de seguir as recomendações do fabricante. Quando se diz que o papel é lavável não significa que a limpeza deva ser feita com água em abundância. Uma bucha ou pano úmido são suficientes”, explica.

Para que a limpeza seja feita de forma adequada a cada papel de parede, conforme sua composição, a designer diz que esses cuidados devem ser tomados de acordo com as recomendações do fabricante. “Cada papel tem um cuidado apropriado, dependendo do material que é composto. Assim, os vinílicos podem ser limpos com uma esponja ou pano úmido. Os de fibras naturais, como são mais sensíveis, não devem ser molhados. O ideal, nesse caso, é um espanador ou aspirador de pó

Tags: massa

Anúncios do Lugar Certo

Outros artigos

ver todas
05 de outubro de 2016
26 de setembro de 2016
23 de setembro de 2016