Salas multiuso ajudam na rotina de quem sempre recebe visitas ou trabalha em casa

Confira dicas úteis para planejar ambientes funcionais e bonitos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 20/06/2013 11:55 / atualizado em 20/06/2013 11:56 Júnia Leticia /Estado de Minas
Áreas que misturam estar, jantar e entretenimento precisam de iluminação dinâmica e espaço de transição - Eduardo de Almeida/RA Studio Áreas que misturam estar, jantar e entretenimento precisam de iluminação dinâmica e espaço de transição


Imóveis com metragens cada vez menores têm feito com que os ambientes acumulem mais de uma função. Um deles é a sala, que por vezes não se restringe apenas a ser um espaço para receber. Integrando varandas, home theaters e até mesmo um home office, elas ficaram multifuncionais.

Designer de interiores da Lider, Renata Esperança define as salas multiuso como ambientes funcionais, práticos, que mudam de acordo com o momento, atendendo a demanda dos moradores de acordo com as necessidades. “Elas podem ser de estar, TV, escritório, ateliê, sala de jogos e de jantar, entre outros”, cita.

Eduardo de Almeida/RA Studio
O ambiente pode também ser unido à cozinha tipo americana, varanda gourmet e home theater, como exemplifica a decoradora Jussara Alvim. “Atualmente, é comum integrar esses espaços com a sala de estar, que hoje tem funções múltiplas. Como os ambientes ficaram mais reduzidos, elas ganharam uma nova dinâmica e se tornaram multiuso.”

Entre as pessoas que buscam fazer com que a sala tenha múltiplas funções estão aquelas que têm uma rotina de vida corrida, que precisam se ajustar ao reduzido espaço disponível à situação que melhor as atende naquele momento, segundo Jussara Alvim. “São profissionais liberais que trabalham em casa. Há também pessoas que recebem hóspedes com frequência, que gostam de curtir a casa e receber amigos”, acrescenta.

Para compor esse ambiente multiuso, vale procurar móveis que se adaptem em várias situações, como aconselha Renata. “Mesas de jantar que eventualmente viram de reunião, sofás que reclinam transformando a sala em um delicioso home cinema, mesas laterais e de centro que se movimentam e podem ficar em vários espaços, bancadas e aparadores que servem de escritório”, sugere.

Perfil

Jussara Alvim diz que antes de pensar em fazer uma sala multiuso é preciso considerar a real necessidade que se tem das diversas funções pretendidas. “Num segundo momento, é imprescindível um bom projeto para que haja o melhor aproveitamento de espaço disponível. É preciso analisar se todas as funções buscadas são compatíveis entre si, se aquele espaço comporta tal diversidade, se os condicionantes, tipo iluminação, ventilação e acústica, são favoráveis.”

Voltadas para pessoas práticas, que não querem espaços desnecessários, a arquiteta Eduarda Corrêa ressalta que isso significa, também, ambientes fáceis de limpar e de manter arrumados. “Não dá para encher de adornos e objetos que tenham que ser removidos toda vez que for usar um local. Por isso, é preciso definir as suas utilizações e analisar se são realmente possíveis e se adequam ao espaço destinado.”

A arquiteta Eduarda Corrêa diz que esse tipo de ambiente não pode ter muitos adornos e objetos - Eduardo de Almeida/RA Studio A arquiteta Eduarda Corrêa diz que esse tipo de ambiente não pode ter muitos adornos e objetos
Renata Esperança também destaca a necessidade de organização no ambiente. Sendo assim, ao se definir a sala multiuso, é imprescindível verificar do quê os seus usuários precisam diariamente. “Se, eventualmente, os móveis têm de ser deslocados para transformar o espaço em uma pista de dança caso o cliente goste de festas ou até mesmo transformar-se em um home cinema para quem tem filhos ou gosta de receber para assistir filmes.”

A lista de necessidade dos moradores é levantada pelos profissionais a partir da resposta de algumas perguntas, como conta Jussara. “Como é o seu dia a dia? Você costuma levar trabalho para casa? Tem o hábito de receber com frequência, tanto visitas quanto hóspedes? Tem crianças?”, enumera.

Ambiente sempre organizado
Para conseguir a otimização do espaço, é imprescindível investir em móveis adequados, de preferência sob medida. Projeto também garante sucesso no resultado da composição

Ter um espaço que se adaptará às necessidades do dia a dia de forma inteligente e funcional é a grande vantagem de se ter uma sala multiuso, segundo a arquiteta Alessandra Almada. “São ambientes que vão exigir um projeto mais ousado no sentido de um melhor aproveitamento de espaço, com mais riqueza em detalhes de marcenaria, como painéis e mobiliários sob medida”, explica.

Como ponto negativo, as salas multifuncionais são ambientes que podem não comportar o uso simultâneo das várias funções para as quais foi concebida, como ressalva Alessandra. “Porém, são situações que podem ser previamente analisadas e discutidas com o profissional que executará o projeto”. Tomados esses cuidados, é partir para o investimento em mobiliário sob medida, com o máximo de aproveitamento do espaço disponível. “Eles podem ser executados em amadeirados, que têm custo acessível. A utilização de espelhos, móveis multifuncionais, cores neutras e uma boa composição de mobiliário existente também influenciarão numa solução de custo baixo, funcional e harmonioso”, segundo a arquiteta.

Sofás amplos, tapetes macios e mesinhas de apoio ajudam na comodidade de moradores e visitas - A arquiteta Eduarda Corrêa diz que esse tipo de ambiente não pode ter muitos adornos e objetos Sofás amplos, tapetes macios e mesinhas de apoio ajudam na comodidade de moradores e visitas
Não é tarefa difícil encontrar opções para compor a sala multiuso. “O próprio mercado já disponibiliza móveis e equipamentos mais compactos e modernos, que atenderão os espaços multiusos sem que aquele ambiente perca a praticidade e a funcionalidade. E se tudo for projetado por um profissional qualificado, o risco de não ser utilizado não existirá”, afirma Alessandra.

Entre as conjugações mais pedidas para esses espaços estão as salas, que eventualmente viram home cinema ou escritórios, como diz Renata Esperança, designer de interiores da Lider. “Para home, um sofá retrátil e telões são opções. Escritórios, um espaço com uma bancada para colocação de um notebook e uma cadeira confortável. Hoje temos várias opções. Depende de quanto o cliente quer investir.”

Auxiliares

Nessa composição, vale investir em aparadores que viram bancadas para escritórios, sofás retráteis e muitas opções de mesas de centro e laterais que alternam as funções e mesas de jantar que se transformam em mesas de reunião, como indica Renata. “Temos hoje no mercado uma variedade infinita de produtos que podem ser adaptados de acordo com a necessidade. Com relação a equipamentos, as televisões ainda são a prioridade de uma sala multiuso, pois, com as opções atuais, acessa-se a internet, assistem-se a filmes, fazem-se reuniões via conferência, entre outros.”

Na hora de escolher, é preciso verificar bem o ambiente, seu tamanho e sua utilização. “O importante é saber realmente o que se deseja, o que será usado. Muitas vezes, monta-se um ambiente para assistir a filmes, gasta-se muito em equipamentos ou ambientes com espaços para receber ou jogar, mas os moradores não têm esse hábito”, observa Renata Esperança.

Ao definir como será o projeto para esse espaço, a arquiteta Helena Antunes informa que se deve partir para a próxima etapa, que é a definição dos revestimentos gerais. “De forma que não irão poluir o visual, já que estamos trabalhando com uma área que inclui mais de uma função e isso, se não for de forma organizada, torna o visual cansativo e nada interessante para quem vai utilizá-lo no dia a dia.” Essa preocupação com elementos neutros e funcionais também se aplica à iluminação. “A sugestão é o uso de lâmpadas LED e fluorescentes, para iluminar os ambientes sem aquecê-los”, diz Helena.

Praticidade sem perder o conforto


Além de prática e funcional, a sala multiuso tem de ser aconchegante e, se possível, com baixo custo. Para isso, Renata Esperança indica investir em um bom sofá e tapetes confortáveis. “Cadeiras práticas que servem tanto para receber como eventualmente para acomodar mais pessoas em uma mesa de jantar, aparelhos de TV com suportes retráteis, bancos, pufes – que servem tanto para acomodar mais pessoas quanto como mesas de apoio –, aparadores que viram escrivaninhas ou mesmo bancadas, dependendo da ocasião, entre outros.”

Para conjugar todos esses elementos de forma harmoniosa, o investimento na contratação de um profissional para elaborar o projeto é muito importante. “A partir de um projeto bem-elaborado e criativo, o custo/benefício das demais etapas será o melhor possível. O bom profissional irá ajudar a ajustar as necessidades de cada cliente ao seu bolso”, explica a arquiteta Helena Antunes.

Eduardo de Almeida/RA Studio
 
 
Quanto ao investimento no projeto, a arquiteta diz que os custos vão depender da área disponível do ambiente. “Uma pequena sala multiuso, com 30 metros quadrados aproximados, onde funcionaria uma sala de estar/home office/hóspedes e jantar/cozinha americana teria um custo de R$ 2,3 mil.”

Tão importante quanto a contratação de um profissional para fazer o projeto é aqueles que vão executar a obra. “É muito importante que o cliente tenha uma boa relação de confiança com todos os profissionais contratados, pois eles irão transformar aquilo que está no papel em realidade”, ressalta Helena.

Outro cuidado que a arquiteta diz ser necessário é atenção à qualidade do material que for adquirido. “Não compre qualquer produto ou serviço somente pelo custo baixo. Isso não funciona e sempre traz inúmeros problemas, pois nem tudo que é mais caro é o melhor, mas o que é mais barato sempre é o pior.”

Paciência e determinação para executar o projeto também são fundamentais, como acrescenta Helena. “Não queira que ele seja executado todo de uma só vez. É preferível que o cliente crie etapas, optando por seguir cada uma com qualidade, do que fazer tudo de uma só vez e correr o risco de ter surpresas desagradáveis. Organize um cronograma e vá com calma.” A falta de cuidado pode ocasionar um efeito ruim, resultado do uso de um mobiliário incompatível com o espaço, peças em tamanho desproporcional ou muitas coisas em um ambiente só, sufocando a sala. “Por isso, projeto e planejamento são imprescindíveis para elaboração de uma obra de sucesso”, afirma a designer de interiores Renata Esperança.

Eduardo de Almeida/RA Studio
Três perguntas para...

Rodrigo Aguiar - arquiteto e decorador

1- Quais são os prós e os contras de uma sala multiuso?


A sala multiuso permite um espaço mais integrado para uso coletivo, mas é preciso ter cuidado ao organizar os ambientes, para que se integrem e fiquem harmoniosos. É necessário avaliar o uso devido da sala e os equipamentos, tanto de som e mobiliário, para trazer harmonia e aconchego ao lugar.

2- Quais as soluções mais modernas e baratas para esses espaços?

Atualmente, temos o uso da automação residencial, que é muito bacana e integra tanto varandas gourmet a salas, quanto home theater com a sala de estar, transformando tudo em um grande living.

3- Quais as opções de equipamentos e móveis disponíveis no mercado que podem ser utilizados?

Podemos usar estantes, que a cada dia mais comportam os equipamentos, além de sofás retráteis e reclináveis, que proporcionam conforto para a sala ao ver TV e, eventualmente, podem ser usados para transformar o espaço num quarto de hóspedes. Procure usar revestimentos de cores suaves e neutras, móveis, tapetes e cortinas que sejam laváveis e antialérgicos. Fazer um projeto ou pequeno estudo é importante para deixar os espaços confortáveis, acolhedores e aconchegantes.

Tags: designer,

Anúncios do Lugar Certo

Outros artigos

ver todas
05 de outubro de 2016
26 de setembro de 2016
23 de setembro de 2016