Espaços fitness exigem cuidados com a segurança e manutenção

Acesso a aparelhos de ginástica e musculação sem sair de casa traz praticidade ao dia-a-dia, mas é preciso seguir alguns critérios para segurança dos usuários; sindicato orienta como condomínios podem aderir aos padrões necessários

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 22/07/2013 08:00 / atualizado em 18/07/2013 13:25 CorreioWeb /Lugar Certo
Espaço fitness possibilita ao condômino acesso a aparelhos de ginástica e musculação sem sair de casa - Iano Andrade CB D.A Press Espaço fitness possibilita ao condômino acesso a aparelhos de ginástica e musculação sem sair de casa
 
 
A fim de aumentar a qualidade de vida dos seus clientes, as construtoras se especializaram em oferecer opções de lazer em condomínios, através do conforto e praticidade agregado a esse tipo de serviço. Com o dia-a-dia cada vez mais cheio de tarefas e atividades, cresce o número de atrativos no mercado. Um deles, o espaço fitness, possibilita ao condômino acesso a aparelhos de ginástica e musculação sem sair de casa.

A utilização correta desses espaços é uma dúvida comum entre os síndicos, que procuram o Sindicato dos Condomínios Residenciais e Comerciais do Distrito Federal (Sindicondomínio-DF) para atentar-se ao correto funcionamento das academias condominiais. Atendendo à demanda, o sindicato solicitou esclarecimentos ao Conselho Regional de Educação Física (CREF-7) sobre alguns pontos importantes, como a presença de profissionais qualificados e a utilização dos espaços por crianças.

Segundo o Conselho Regional, não há necessidade obrigatória da presença de um profissional de Educação Física nos espaços fitness dos condomínios do DF. No entanto, não se recomenda que estes espaços funcionem sem supervisão, uma vez que a prática de atividades físicas está sujeita a riscos de acidentes. “A nossa recomendação está focada na correta utilização dos equipamentos e, em especial, na garantia de que os condôminos desenvolvam as suas atividades físicas de forma segura”, explica José Geraldo Pimentel, presidente do Sindicondomínio-DF.

Moradores que contratem personal trainers para utilizarem os espaços fitness devem se assegurar que estes possuam registro no CREF-7. De acordo com a Lei nº 9.696/98, apenas profissionais registrados na entidade podem exercer a profissão de educador físico. Para o conselho é obrigação do síndico fiscalizar se os profissionais que frequentam o espaço fitness estão devidamente credenciados, sob pena de ser caracterizado o exercício ilegal da profissão nas dependências do condomínio.

No que diz respeito à utilização dos espaços fitness por crianças, o conselho recomenda que crianças menores de 14 anos não tenham autorização para utilizar os espaços sem a presença de um responsável ou de um profissional, neste caso, como medida de segurança. “Mais uma vez é preciso reforçar o papel do síndico em administrar esses espaços visando, principalmente, a segurança e o bem-estar dos moradores. Não pode haver negligência”, acrescenta Pimentel.

Já a terceirização dos serviços de atividades esportivas e de lazer é uma prática permitida aos condomínios do DF. No entanto, o CREF-7 e o Sindicondomínio-DF reforçam que os administradores devem se certificar de que estas empresas estejam registradas no conselho.
 
Monique Renne Esp. CB D.A Press
 

Tags: tv

Anúncios do Lugar Certo

Outros artigos

ver todas
05 de outubro de 2016
26 de setembro de 2016
23 de setembro de 2016