Aumenta acesso a segurança residencial monitorada por smartphones e tablets

Para garantir a segurança residencial, a tecnologia já oferece sistemas para acompanhar imagens em tempo real, via internet, usando aplicativos instalados em smartphones e tablets

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 25/07/2013 08:00 / atualizado em 25/07/2013 08:32 CorreioWeb /Lugar Certo
Mercado dispõe também de recursos que, combinados, são capazes de tornar as residências um verdadeiro porto seguro - Carlos Moura/CB/D.A Press Mercado dispõe também de recursos que, combinados, são capazes de tornar as residências um verdadeiro porto seguro
 
Projetos arquitetônicos não são pensados apenas para tornar imóveis sofisticados e funcionais. Hoje, a procura também está voltada para viabilizar a segurança do lar. Modernos sistemas tecnológicos já foram desenvolvidos a fim de possibilitar a troca do pequeno apartamento pelo conforto e espaço de uma residência. Em função dos casos corriqueiros de casas e apartamentos violados no Brasil, arquitetos já pensam maneiras de proporcionar um lar mais seguro.

Para a arquiteta Marina Dubal a necessidade de projetos pensados para a segurança é em função das estatísticas que assustam. Dados da secretaria de Segurança Pública do DF apontam que de janeiro a abril deste ano, foram registrados 174 casos de roubos a residências. Aumento de 5,5% em relação ao mesmo período de 2012. Na média de 2013, é como se uma família fosse assaltada em sua própria casa a cada 16 horas.

"O projeto de uma residência possibilita estudar com detalhe questões de acessos, posicionamento de aberturas e especificação de esquadrias. Assim, pode-se reforçar a segurança e usar vários sistemas, que integrados, vão proteger mais a família, fazendo com que a sensação de constante medo seja menor", afirma Dubal.

Diante da sensação de medo e insegurança, muitos optam por morar em apartamentos, alegando que dispõem de mais segurança. No entanto, a tecnologia vêm para acompanhar a necessidade de mudar esse cenário de insegurança e insatisfação. A arquiteta Adriana Morávia, explica que está mais fácil de acompanhar a segurança residencial. “As tecnologias permitem, por exemplo, que sejam instaladas câmeras que transmitam imagens em tempo real, via internet, para aplicativos instalados em smartphones e tablets. Assim, os moradores podem visualizar seus imóveis quando estão trabalhando ou viajando, mesmo há quilômetros de distância", acrescenta.

O mercado dispõe também de recursos que, combinados, são capazes de tornar as residências um verdadeiro porto seguro. "Uma boa opção é adquirir alarmes que funcionem por meio de sensores de calor e movimento, circuitos internos de TV, sistemas de controle de acesso que funcionam por meio de cartões magnéticos e cerca elétrica", sugere Morávia.

As opções mais tradicionais, como muros altos, precisam ser reavaliadas. "Quanto mais se isola um imóvel da rua com muros altos, mais dificuldade haverá para contar com o apoio de vizinhos e transeuntes em um momento de necessidade", comenta Dubal. A mesma opinião é compartilhada por Morávia. "Os vizinhos podem ver alguém pulando a grade e chamar a polícia. Quando o muro é todo fechado é impossível visualizar", acrescenta.

Com diversas opções de sistema de segurança e a ajuda da arquitetura que, ainda no projeto, analisa itens que tornam a casa mais segura, a possibilidade de viver com mais tranquilidade é assegurada. O medo é contornado por artifícios pensados para promover o conforto no lar.

Tags: decoração

Anúncios do Lugar Certo

Outros artigos

ver todas
05 de outubro de 2016
26 de setembro de 2016
23 de setembro de 2016