Construção civil utiliza esferas plásticas para execução de lajes mais leves

Tecnologia das esferas plásticas confinadas entre armaduras é utilizada em mais de trinta países e chega ao Brasil em uma grande obra do Distrito Federal. O sistema dispensa a necessidade de vigas e diminui o número de pilares, além de proporcionar maior isolamento acústico e térmico

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 29/07/2013 08:00 / atualizado em 25/07/2013 15:21 CorreioWeb /Lugar Certo
Esferas dispensam a necessidade de vigas e reduz o número pilares, permitindo vãos maiores, além de maior isolamento acústico e térmico - Divulgação/Odebrecht Esferas dispensam a necessidade de vigas e reduz o número pilares, permitindo vãos maiores, além de maior isolamento acústico e térmico
A construção civil tem buscado alternativas capazes de deixar as obras mais leves e eficientes. A utilização de esferas plásticas dispensa a utilização de alguns componentes de construção extremamente pesados, proporcionando leveza às lajes. As esferas são produzidas com polipropileno e inseridas entre duas telas de aço. O processo de execução de uma laje é realizado basicamente em quatro etapas. Após a fabricação dos painéis na fábrica, se inicia a execução do escoramento e a colocação da malha inferior do módulo e, apenas depois da colocação das esferas, a malha superior é soldada e o módulo é concretado.
 
 
Divulgação/Odebrecht
O uso das esferas dispensa a necessidade de vigas e reduz o número pilares, permitindo vãos maiores. As pré-lajes são içadas em painéis de armaduras com esferas plásticas confinadas. Os vazios formados pelas esferas reduzem em até 35% o peso próprio em relação a uma laje comum. O sistema também proporciona, de acordo com o fabricante, maior isolamento acústico e térmico e, em caso de incêndio, as esferas se auto-inflamam sem emitir gases tóxicos e poluentes.
 
O sistema já é utilizado em obras em mais de trinta países, como Grã-Bretanha, Holanda e Dinamarca. No Brasil, a técnica está em implantação em uma grande obra em Brasília. Os 16 prédios que estão sendo construídos do novo Centro Administrativo do Distrito Federal (CADF) possuem no cronograma de produção, 1.000 m² de painéis BubbleDeck por dia, o que deverá representar uma redução considerável do consumo de concreto e do uso de escoramento em relação ao projeto original.
 
Divulgação/Odebrecht
 

Tags: paredes

Anúncios do Lugar Certo

Outros artigos

ver todas
05 de outubro de 2016
26 de setembro de 2016
23 de setembro de 2016