Charme e colorido dos pássaros na decoração transmitem sensação de liberdade ao lar

Peças podem criar desde ambientes provençais a espaços clássicos em casa

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 30/07/2013 08:00 / atualizado em 30/07/2013 14:55 Joana Gontijo /Lugar Certo
Objetos que remetem a pássaros podem ser usados em vários tipos de decoração - Carlos Altman/EM/D.A Press Objetos que remetem a pássaros podem ser usados em vários tipos de decoração
 
 
Delicados, românticos, coloridos e alegres, eles transmitem a sensação de paz e liberdade, como símbolos de afeto e união. Contextualizados na tendência cada vez mais comum de aplicar animais na decoração, os pássaros saem das gaiolas e podem entrar na composição dos ambientes de inúmeras maneiras. Figurando como objetos e adornos, em tecidos, estampas, quadros, utilitários e acessórios, podem estar em grandes destaques ou pequenos detalhes, conferindo charme e sofisticação ao lar. Boas sacadas de design têm feito com que os elementos decorativos que remetem aos pássaros se multipliquem continuamente e estejam em harmonia com o restante do projeto, saindo do conceito mais infantilizado para ganhar versatilidade e surgir em qualquer tipo de proposta, seja residencial ou comercial. Afinal, é sempre interessante ter essa boa energia por perto.
 
 
Andorinhas, beija-flores, colibris, cacatuas, periquitos, papagaios, araras, corujas, canários, cisnes, pombas, pavões, pelicanos, garças, tucanos, sabiás, bem-te-vis, pardais. Essas são apenas algumas das espécies mais comumente reatratadas na decoração, fazendo nascer muitas opções para inserir os pássaros dentro de casa, ressalta a arquiteta e designer de interiores Luciana Andrade. Ao usá-los, a primeira questão a considerar, segundo Luciana, é que os pássaros não originam objetos básicos e neutros, assim como um porta retrato. “Eles são um elemento diferenciado que jamais passará desapercebido. Os pássaros sempre vão atrair muitos olhares, levando personalidade e ousadia ao espaço.”

As aves transmitem a sensação de paz e liberdade, como este pássaro branco - Carlos Altman/EM/D.A Press As aves transmitem a sensação de paz e liberdade, como este pássaro branco

 
Em ambientes internos ou externos, os passarinhos podem estar em estampas de almofadas, estofamentos, tapetes, vasos e seat gardens, adornos sobre estantes ou mesas, cúpulas de luminárias, quadros e papéis de parede, adesivos, plotagens, entre outros, com muita versatilidade, exemplifica Luciana. “Em varandas, suas cores dão despojamento e criam uma atmosfera campestre que, mesmo em um imóvel urbano, forma um apuro de sofisticação. Em salas e livings, o apelo do pássaro é o luxo, mas sem a ostentação que existe nos objetos felinos, por exemplo. Pode compor mesas, estantes ou aparadores, almofadas ou um composé de quadros. Já nos quartos infantis, objetos com pássaros em tecido e patchwork são muito delicados”, acrescenta.
 
A arquiteta Luciana Andrade diz que é preciso ter atenção aos escolher os objetos, pois eles vão se destacar da decoração - Eduardo de Almeida/RA Studio A arquiteta Luciana Andrade diz que é preciso ter atenção aos escolher os objetos, pois eles vão se destacar da decoração
 
Para não correr o risco de cair no kitsch, a arquiteta orienta evitar réplicas, como materiais com penas, sendo que algumas peças de madeira também podem ser duvidosas. Usando materiais como porcelana, em um só cor ou em tons variados como preto, vermelho e verde, fica mais fácil acertar. “Porcelanas craqueladas são outra opção muito elegante. Para adornos, as proporções médias (30 cm a 40 cm) são as mais adequadas. Para tecidos e estofamentos, não há restrições de cores e tamanhos.Em quadros, indico destacar cada espécie de pássaro em uma moldura.” 
 
O beija-flor é uma das espécies mais retratadas na decoração - Carlos Altman/EM/D.A Press O beija-flor é uma das espécies mais retratadas na decoração
 
 
Projeto do arquiteto Luís Fábio Rezende de Araújo - Divulgação/Luís Fábio Rezende de Araújo Projeto do arquiteto Luís Fábio Rezende de Araújo
Luciana Andrade complementa que, em objetos de porcelana, é comum encontrar espécies como a cacatua, o periquito, o papagaio e, para quem gosta das araras, os tecidos oferecem diversas possibilidades. Já a coruja, de acordo com a profissional, atualmente está em destaque em decorações mais ternas ou infantis. “Para os colecionadores de corujas vale a dica: é sempre mais elegante concentrar suas relíquias em um mesmo espaço do que espalhar cada exemplar em um cantinho da casa”, ensina.

Para chegar a um tom clássico, a arquiteta diz que cabe aplicar pássaros monocromáticos, pontuados em almofadas com acabamento de marabús, franjas ou pingentes dourados, ou em gravuras emolduradas com fundo escuro e descrições das espécies. Dentro deste estilo, dá ainda para usar outras estampas em conjunto, como a toile de jouy ou os adamascados, valorizando uma cor principal para amarrar a composição. Quando se trata de um clima campestre e rústico, seja urbano ou rural, Luciana afirma que o pássaro contextualiza bem com móveis de fibra ou madeira, tecidos de folhagens ou lisos. “Na decoração contemporânea, é bom apostar em adornos de louça monocolor integrados aos demais componentes em linhas retas. Um pássaro preto ou vermelho sobre uma mesa lateral Saarinen, por exemplo, fica muito arrojado.” Para a designer, os pássaros atraem tantos admiradores pois humanizam qualquer estilo de decoração e, ao levar o tema natureza para algum lugar da casa, causam uma sensação reconfortante ao serem vistos. “Acredito no poder que a decoração possui, através de seus elementos, de interferir no humor e no bem estar das pessoas.”

Luciana Andrade adicionou ao projeto este belo detalhe que remete às aves - Eduardo de Almeida/RA Studio Luciana Andrade adicionou ao projeto este belo detalhe que remete às aves
PROXIMIDADE

A relação cada vez mais próxima dos seres humanos com os animais faz com que, não somente os pássaros, mas também outros bichos apareçam da decoração, pontua o arquiteto Luís Fábio Rezende de Araújo. “As pessoas acabam tendo grande afinidade com objetos que remetem aos animais que têm ou queriam ter verdadeiramente. Há inúmeras formas de ter a imagem de um pássaro ou outro animal no espaço, seja ele residencial ou mesmo comercial, como em restaurantes, lojas de roupas e até escritórios. Os pássaros estão por todo lado, voando ou enfeitando”, ressalta. Para Luís Fábio, o mais importante é saber verificar a proporção dos objetos, o material e os temas envolvidos, para que a composição esteja integrada e seja duradoura. “Os itens escolhidos devem respeitar um ao outro na colocação e disposição, sem que um se sobressaia ao outro, mesmo que sejam peças de valores diferenciados. Falando em valores, há inúmeras opções de adornos que remetem a este tema e com diversos custos, mas há também renomados escultores que dedicam seu trabalho a criar belas obras de arte em formatos de bichos, entre eles os pássaros”, cita.

Carlos Altman/EM/D.A Press
O arquiteto acrescenta que, independente dos materiais com que são feitas, as imagens de pássaros podem estar mais evidentes, chamando assim a atenção para aquele tema, ou mesmo aparecer apenas em relevos ou em formas mais abstratas. Segundo Luís Fábio, em qualquer ambiente é aceitável a presença destas peças, sendo alguns mais característicos para elas, mas também estendendo a criatividade para estar em espaços menos convencionais. “Na montagem de mesas de jantar ou almoço, juntamente com os pratos, suplás, talheres e taças, podemos também marcar os lugares com pequenos objetos em formatos de pássaros que, além de decorar a mesa, mostram um cuidado a mais na organização do evento.” Com inspiração mais próxima do provençal, na opinião do profissional, a harmonia entre os pássaros e o restante do projeto deve existir no uso dos elementos e na escolha dos acabamentos, tomando os cuidados comuns a qualquer item decorativo. “As cores mais claras e os objetos mais delicados se assimilam muito aos adornos de pássaros. Por isso o forte apelo deste estilo francês. Mas o uso deles é totalmente aberto para qualquer decoração. O que vai direcionar é o aspecto da peça, se tem características mais clássicas ou contemporâneas. Os passarinhos aplicados no design agradam porque estes objetos eternizam, dentro do lar, um ser tão presente no nosso dia a dia.”

Elementos que remetem a eles, como as gaiolas, também são destaque na decoração - Carlos Altman/EM/D.A Press Elementos que remetem a eles, como as gaiolas, também são destaque na decoração
Asas à imaginação

Como explica a decoradora Sheila Mundim, os pássaros podem estar presentes na decoração como objetos de estimação, uma coleção ou algo como um bibelô resgatado da família, aparecendo em adornos com materiais diversificados, como porcelana, resina, madeira ou vidro. “Nas salas de estar e jantar, em cozinhas, varandas, solários, quartos e lavabos, eles geralmente são usados como o objeto alvo, mesclado entre outros adornos. Podem ter formas variadas, como de asas abertas, em cima de um pedestal, em um bebedouro com escultura de pássaro, uma saboneteira de porcelana branca com alguma ave, em cachepôs, saleiros e pimenteiros.” Sheila recomenda posicionar os pássaros sempre em peças limpas e sem muito detalhes. “Eles resgatam uma memória de família e têm estilo e personalidade, tornando o ambiente atemporal.”

O artista plástico Aluízio Figueiredo é apaixonado por pássaros desde a infância, atraído pelo colorido, pelo tom lúdico e de liberdade que carregam e, por isso mesmo, nunca gostou de vê-los presos em gaiolas. Quando inaugurou sua loja de decoração que funciona no Santa Tereza, em BH, resgatou esse encantamento de criança para conceber diversos tipos de objetos inspirados nestes seres de asas. “Como a loja tem a proposta do vintage, achei que era o casamento perfeito. Além dos pássaros que produzo, também sempre os procuro em minhas viagens para fora do Brasil. Em qualquer decoração, eles conferem harmonia ao projeto.”
 
Apaixonado por pássaros, o artista plástico Aluízio Figueiredo criou peças exclusivas inspiradas nas aves  - Carlos Altman/EM/D.A Press Apaixonado por pássaros, o artista plástico Aluízio Figueiredo criou peças exclusivas inspiradas nas aves
 
 
Na Aluízio Casa, os passarinhos são um ponto alto e um capítulo a parte. Entre adornos e utilitários, em diferentes espécies, finalidades e materiais, eles surgem em caixas de fósforo, porta toalhas e papel higiênico, suportes para vasos, móbiles, cantoneiras, copos e jarras, cachepôs, caixas e porta jóias, tampas e garrafas, porta chaves e chaveiros, como pendentes, adesivados em estampas ou silkados, recortados a laser em MDF, em gravuras e pinturas emolduradas ou como origamis e esculturas, além das peças de design exclusivamente fabricadas pelo artista, para citar apenas alguns exemplos. Os preços variam entre R$ 7, para uma pombinha mensageira, até R$ 100, para esculturas maiores, sem falar nos cachepôs que vão de R$ 57 a R$ 128.

Os pássaros aparecem em diferentes formas, tamanhos e materiais - Carlos Altman/EM/D.A Press Os pássaros aparecem em diferentes formas, tamanhos e materiais
Esperando o nascimento do primeiro filho, a psicóloga Kissia Partaglia, 26, e o arquiteto e músico Bernardo Gontijo, também de 26, resolveram sair do padrão predominante quando se trata de quartos masculinos infantis. Para receber Miguel, que deve chegar em setembro, eles não queriam temas como carros, esportes ou super-heróis, e pediram a ajuda de uma amiga. Foi quando a artista plástica Luiza Matheus concebeu, em uma das paredes do cômodo, a bela pintura de uma árvore com quatro passarinhos, cada um representando uma nota musical. “Como o Bernardo toca e os passarinhos cantam, tivemos essa ideia que remete à música. Queríamos uma decoração diferente, mais leve e com a nossa cara. Pesquisamos muito e não estávamos gostando de nada. Sinônimos de liberdade, os passarinhos foram a solução ideal e ficou ótimo. A imagem nos traz tranqüilidade. Miguel vai curtir”, comemora a psicóloga.

A jornalista Isadora Troncoso, de 31 anos, é outra amante dos pássaros, que admira desde pequena. A paixão fica clara já na andorinha tatuada no corpo. “Mas sempre achei triste vê-los engaiolados, por isso a forma que consegui para tê-los mais próximos é em suas representações.” No apartamento onde vive com a mãe e a filha de quatro anos no bairro Cruzeiro, na capital, eles estão em objetos de louça sobre o criado mudo do quarto e em dois quadros pendurados na parede, mas Isadora está sempre atenta aos objetos deste tipo que encontra em lojas de decoração. “Os passarinhos me passam um sentimento de delicadeza, liberdade e leveza. São coisas que busco na vida e também dentro de casa”, finaliza.

Carlos Altman/EM/D.A Press
MEMÓRIA: Fascínio desde a antiguidade


Os pássaros sempre fascinaram a humanidade, salienta a arquiteta e designer Luciana Andrade.Na civilização egípcia, já esculpia-se altos relevos de aves nos hieróglifos das pirâmides e baixos relevos em obeliscos, explica. Eram usados tanto para transmitir alguma mensagem quanto apenas para servir de adorno corporal. No Oriente, continua a profissional, o pavão e o papagaio sempre estiveram presentes nos tapetes de luxo persas ou indianos. Na Inglaterra, pássaros de diversas espécies foram usados em selos, brasões e, até mesmo para identificar a família, passaram a ser entalhados em móveis, portões em ferro fundido e apliques. Na monarquia francesa, os tecidos toile de jouy mostravam cenas campestres com folhagens e pássaros. No Brasil, um país tropical, nada mais natural do que a presença de pássaros e suas cores vivas em ambientes praianos ou campestres. “O uso deste tema em espaços urbanos no Brasil é relativamente recente. A globalização facilitou o acesso a outras culturas. As viagens e as importações também ficaram mais acessíveis, possibilitando o intercâmbio de conceitos e suas releituras. Muito recentemente no país, uma grife de moda conhecida apostou no tema dos pássaros, o que impulsionou ainda mais sua apreciação pelos admiradores
 
Eduardo de Almeida/RA Studio

Anúncios do Lugar Certo

Outros artigos

ver todas
05 de outubro de 2016
26 de setembro de 2016
23 de setembro de 2016