Arquitetas dão dicas do que é elegante ou cafona na decoração natalina

Vale soltar a criatividade, ser moderno, mas a festa não pode perder a identidade clássica, destacam as especialistas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 23/12/2013 08:00 / atualizado em 16/12/2013 16:48 Lilian Monteiro /Estado de Minas
A Casa Maia aposta nos soldadinhos de chumbo para inspirar a magia de Natal  - Jair Amaral/EM/D.A Press A Casa Maia aposta nos soldadinhos de chumbo para inspirar a magia de Natal

De acordo com a tradição da Igreja Católica, a data oficial para começar a montar a árvore de Natal e o presépio é a partir de 30 de novembro, quando se inicia o tempo do Advento (primeiro tempo do ano litúrgico, período de alegria e expectativa para os fiéis que esperam o nascimento de Jesus Cristo). E o recomendado é que a decoração seja feita devagar, aos poucos, para tudo estar pronto a partir da segunda quinzena de dezembro, mais próximo da festa natalina. E a árvore deve permanecer até o Dia de Reis, em 6 de janeiro, data em que os reis magos encontraram o menino Jesus.

Seguindo ou não a tradição, nada mais prático do que ter orientações de profissionais na hora de preparar a decoração da casa para o Natal. A arquiteta Mariana Borges que ao lado da designer de interiores Thaysa Godoy comanda o escritório Borges Godoy, pede atenção com a iluminação. “Não gosto da mistura de cores. A monocromática é a mais elegante. Ao apostar na iluminação neutra (dourada) é possível abusar nos adornos.” Mariana conta que gosta tanto da decoração over quanto da simples. “Antigamente, só encontrávamos artigos básicos, a bola vermelha e pronto.

É fácil criar um cenário simples, bonito e chique, como neste projeto da arquiteta Laura Santos - Henrique Queiroga/Divulgação É fácil criar um cenário simples, bonito e chique, como neste projeto da arquiteta Laura Santos


Hoje, com tanta variedade, é permitido ousar com bolas, laços e velas. O exagero pode ser bonito.” Ela fica eufórica com uma mesa bem composta com sousplat, prato com motivos natalinos, talheres e taças combinando ou não, porta-guardanapos decorados e arranjos centrais temáticos. Claro que, mesmo no excesso, a profissional segue uma estética que vai deixar tudo harmonioso.

Lider Interiores/Divulgação
Vermelho, verde, dourado e o prata são as cores do Natal e predominam na decoração. Ser ousada a ponto de montar uma árvore toda rosa é encarado com sinal vermelho por Mariana. “Sair do tradicional exige situações específicas. Nesse tom, acho que caberia na vitrine da Vitctoria Secrets, por exemplo. É a cor da marca. Comungo da ideia: todo restaurante japonês tem de ser vermelho? Claro que não. Mas cabe o berinjela? É importante manter a identidade do evento. Saber o objetivo. Uma árvore rosa para Natal em família, para mim, ficaria estranha.” Mas a arquiteta enfatiza que tudo depende da personalidade, quando é natural sair dos padrões. Pense na árvore de um estilista ou de um artista plástico, por exemplo.

A arquiteta Laura Santos, do escritório Laura Santos Arquitetura Interiores, acha que “os exageros e os excessos pesam na decoração. Muitos elementos deixam o ambiente confuso.” Para quem gosta de árvore grandes e imponentes, ela alerta para a questão de espaço. “Se ela ficar no meio de quadros, cristaleira, cadeiras, vasos e louças também vai trazer poluição visual e o Natal fica pesado.” É fácil criar um cenário simples, bonito e chique e, com tanta oferta de produtos, é possível gastar pouco. “É legal também se você conseguir criar seus arranjos e adornos. De repente, sobraram bolas da árvore que vão parar num centro de mesa, no aparador.” E se quiser fugir do vermelho, vale apostar no dourado ou prata. “Ou ir além e investir numa árvore só de bolinhas de isopor envolvidas em tecidos traspassados. Vai ficar linda. Ou então em xadrez, para área externa, uma varanda, com efeito superbacana. Tem ainda modelos só de fuxicos.” E se preferir a casa mais limpa ou morar num apartamento pequeno, pode investir em uma única peça decorativa. “Seja o Papai Noel , árvore, centro de mesa, castiçais, anjos...”

Jair Amaral/EM/D.A Press


Locação

Agora, se seu perfil não combina com a arte de decorar, saiba que há serviços de locação como o da Casa Maia, no Bairro de Lourdes. “O cliente escolha o tamanho e o modelo da árvore e a montamos. Ela fica até janeiro, quando voltamos para recolhê-la’, explica Jeysiane Kelly Rocha Silva Rodrigues, auxiliar administrativa. Quanto às novidades para este Natal, ela aposta na iluminação com estrelas e tubos de LED para áreas externas, varanda, paredão e jardim.

Para fugir do convencional, em alta a cor cobre em flores, fitas, bico-de- papagaio e bolas. Agora, os anjos (tem modelos de 90cm) em tecidos finos e delicados, a Sagrada Família e os três reis magos com rosto e corpo em resina são sempre procurados. “A febre deste ano são os soldadinhos de chumbo. É o nosso tema, inspirado no Quebra Nozes. A história que escolhemos para representar a magia do Natal.”

Como harmonizar as luzes de Natal?

Para o especialista Cláudio Giannico é preciso cautela. “Nesta época, a iluminação diferenciada proporciona um toque especial às festas. Diante de tantas opções e cores, como harmonizar todas as luzes na sua casa? Primeiro, é importante verificar se as luzinhas aumentam ou não a conta. Para estimar valores, vamos supor que sua decoração permaneça montada de 1º de dezembro a 6 de janeiro. Serão 37 dias, com aproximadamente cinco horas de acendimento diário (das 18h às 23h). Cada lâmpada convencional usada nesse tipo de circuito chega a consumir 5W e se você usar um acessório com 100 pequeninas lâmpadas, seu gasto com energia elétrica será de R$ 36,07, sob o custo médio de R$ 0,39 W/h. É um valor considerável. Por isso, é melhor adotar as luzinhas de LED, que consomem até 90% menos energia, não esquentam e duram 25 vezes mais que as tradicionais. Alguns ambientes são mais frequentados em dia de festa, como a sala de estar e a área externa, e merecem mais atenção na hora de preparar a iluminação. A sala deve ter decoração aconchegante e receptiva, sem exageros. Uma boa dica é estabelecer a iluminação geral por meio de lustres, pendentes ou dispositivos instalados em sancas. Na área externa, o ideal é causar efeitos de iluminação em plantas e vasos. O mais indicado são lâmpadas que emitem luz colorida ou que possam trocar de cor.”
SXC.hu/Banco de Imagens

Tags: condomínio

Anúncios do Lugar Certo

Outros artigos

ver todas
05 de outubro de 2016
26 de setembro de 2016
23 de setembro de 2016