Filosofia japonesa em casa ajuda na organização dos cômodos

Teoria baseia-se em cinco palavras: utilização, ordem, limpeza, saúde e autodisciplina

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 03/09/2014 08:10 / atualizado em 09/09/2014 12:32 Lugar Certo /Folha de Londrina
Reprodução/Internet


Sua casa, seu quarto ou o das crianças te incomoda por tanta bagunça? É hora de se inspirar na metodologia japonesa do 5S. - aquela faxina generalizada que dispensa o que ocupa espaço e não tem utilidade, dando espaço a coisas novas e priorizando o que nos faz bem. Esta filosofia foi adotada para "reorganizar" o Japão após a Segunda Guerra Mundial e baseia-se em cinco palavras, que, em japonês, começam com a letra "s": seiri (utilização), seiton (ordem), seisou (limpeza), seiketsu (saúde) e shitsuke (autodisciplina).

A organizadora pessoal Claudia Moura acredita que para começar a arrumar qualquer coisa, a palavra de ordem é desapego. "Objetos sem utilidade roubam a nossa energia, em casa ou no trabalho, porque a bagunça ou o acúmulo de coisas inúteis tira o nosso foco. Por isso, precisamos nos desfazer para dar espaço ao novo", afirma.

Tenha um plano

O ideal é sempre se planejar, definindo pequenas etapas a serem superadas. Se for um guarda-roupa, por exemplo, comece pelas calças, seguidas de camisas e sapatos. "Se não temos tempo ou paciência, podemos dar um passo por dia. O importante é cumprir. E quando vemos que estamos avançando, nos animamos ainda mais", diz a profissional.

Divida os objetos descartados em três caixas, por exemplo: lixo, doação e segunda chance. Mas cuidado para não dar outra oportunidade a muitos itens, devolvendo-os ao armário em seguida. "A tolerância deve ser de uma semana para você se decidir ou mandar para um sapateiro ou costureira, caso queira fazer ajustes", recomenda Claudia.

Exemplo a ser seguido

A decoradora Arlete Vidal aplica o conceito de seiri há mais de 20 anos. "Com as roupas, faço uma boa limpeza a cada seis meses, na mudança do inverno para o verão. E só compro peças novas na mesma quantidade das que tirei das minhas gavetas", diz. Com os documentos, ela esvazia suas pastas a cada ano, sempre tomando o cuidado de picotar ou rasgar os papeis em pedacinhos.

Arlete usa a estratégia de duas caixas: uma de lixo e outra de doação. Ela sempre foi a favor de passar coisas em desuso para frente e de ajudar quem precisa. Para a decoradora, a principal vantagem é que o seiri ajuda a manter a casa organizada e limpa.

Primeiro (e talvez o mais importante): não se intimide! Às vezes, parece que o caos é tão grande que não pode ser dominado, mas pode sim.

Cada coisa tem o seu lugar. Devagar e com paciência, a organização ganha corpo.

Tenha sempre um plano e siga-o. Para não desanimar, pense em etapas que você consiga superar, sem atropelos.

Divida os itens em três porções: o que fica, o que deve ser consertado ou reformado e o que será descartado (lixo ou doação).

O que fica: itens realmente úteis e importantes.

Conserto ou reforma: são roupas que precisam de algum ajuste, equipamentos quebrados ou sapatos que precisam de nova sola, por exemplo.

Descarte: são roupas rasgadas que não tenham conserto ou equipamentos cujo reparo não valha a pena, entre outros objetivos que você não utiliza há muito tempo.

Anúncios do Lugar Certo

Outros artigos

ver todas
05 de outubro de 2016
26 de setembro de 2016
23 de setembro de 2016