Índice que reajusta valor dos contratos de aluguel recua em fevereiro

O resultado é atribuído ao recuo no Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), responsável por 60% da composição do IGP-M

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 11/02/2014 10:59 Agência Brasil
No mesmo período do mês anterior, a taxa atingiu 0,37%, contra 0,22% registrado na primeira prévia de fevereiro - Antonio Cunha/Esp. CB/D.A Press No mesmo período do mês anterior, a taxa atingiu 0,37%, contra 0,22% registrado na primeira prévia de fevereiro
 
 
O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M), referência para o reajuste dos contratos de aluguel, variou 0,22% na primeira prévia de fevereiro. No mesmo período do mês anterior, a taxa atingiu 0,37%, segundo dados divulgados nesta terça-feira (11/12) pela Fundação Getulio Vargas (FGV).

O resultado é atribuído ao recuo no Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), responsável por 60% da composição do IGP-M. Na primeira medição de fevereiro, o IPA registrou variação de 0,04% – bem inferior à taxa de 0,38%, registrada no mesmo período de janeiro. De acordo com a FGV, a maior contribuição veio do subgrupo alimentos processados, cuja taxa passou de 0,61% para -0,69%.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que responde por 30% da composição do IGP-M, chegou a 0,58% na primeira apuração de fevereiro. A taxa ficou em 0,49% no mesmo período de janeiro. Quatro das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram acréscimo. A maior contribuição veio do grupo educação, leitura e recreação (de 0,23% para 2,10%).

Também apresentaram acréscimo os grupos habitação (de 0,32% para 0,61%), despesas diversas (de 0,29% para 2,37%) e comunicação (de 0% para 0,25%). Os itens que contribuíram para esses movimentos foram empregados domésticos (de 0,03% para 1,19%), cigarros (de 0,58% para 4,44%) e tarifa de telefone móvel (de 0,10% para 0,64%), respectivamente.

Por fim, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) – cuja contribuição para a formação do IGP-M é apenas 10% – variou 0,54% na primeira apuração de fevereiro, acima do resultado de 0,06% apurado no mesmo período de janeiro. De acordo com a FGV, a alta se deve ao aumento na taxa referente a materiais, equipamentos e serviços (de 0,13% para 0,59%). O percentual do custo da mão de obra variou 0,50%. No mês anterior, o índice não registrou variação.

Tags: brasil

Anúncios do Lugar Certo

Últimas notícias

ver todas
13 de novembro de 2018
12 de novembro de 2018
08 de novembro de 2018
04 de novembro de 2018
03 de novembro de 2018