Mão de obra eleva custo da construção, que acumula alta de 7,75% em um ano

Das sete capitais onde é feita a pesquisa, Brasília teve o índice médio da construção com alta no mês de 0,52%

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 25/04/2014 10:58 / atualizado em 25/04/2014 11:08 Agência Brasil
O INCC-M teve variação de 0,67% em abril, bem acima da taxa registrada em março (0,22%), acumulando alta de 2,04%, desde janeiro - Breno Fortes/CB/D.A Press O INCC-M teve variação de 0,67% em abril, bem acima da taxa registrada em março (0,22%), acumulando alta de 2,04%, desde janeiro


O Índice Nacional de Custo da Construção do Mercado (INCC-M) teve variação de 0,67% em abril, bem acima da taxa registrada em março (0,22%), acumulando alta de 2,04%, desde janeiro, e 7,75% em 12 meses. Os materiais, equipamentos e serviços subiram 0,93% ante 0,45%, atingindo alta de 6,88% em um ano. Já a mão de obra passou de 0,01% para 0,42% com correção de 8,58% em 12 meses.

A mão de obra mais cara reflete, principalmente, o aumento salarial no Rio de Janeiro e, em Salvador, na Bahia. Entre os materiais que mais tiveram reajustes estão os itens utilizados na estrutura das obras com as peças metálicas, alta de 13,19% em 12 meses e as de madeira (6,52%).

Das sete capitais onde é feita a pesquisa, o índice médio da construção mais elevado foi constatado no Rio de Janeiro com alta no mês de 2,73% ante 0,18%. Nas demais localidades foram registradas as seguintes variações: Salvador (de 0,41% para 0,40%); Brasília (de 0,11% para 0,63%); Belo Horizonte (de 0,17% para 0,41%); Recife (de 0,24% para 0,20%); Porto Alegre (de 0,29% para 0,40%) e São Paulo (de 0,21% para 0,47%).

Anúncios do Lugar Certo

Últimas notícias

ver todas
17 de setembro de 2018
14 de setembro de 2018
09 de setembro de 2018
05 de setembro de 2018