Proposta pretende priorizar atendimento a jovens no Minha Casa, Minha Vida

A proposta inclui, na lei que criou o programa, o atendimento prioritário a famílias com pessoas entre 15 e 29 anos, faixa dos jovens definida pelo Estatuto da Juventude

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 29/04/2014 07:59 / atualizado em 28/04/2014 15:05 Agência Câmara
Os jovens são mais vulneráveis à violência e à dependência química e por isso, devem contar com uma estrutura habitacional completa
 - Iano Andrade/CB/D.A Press Os jovens são mais vulneráveis à violência e à dependência química e por isso, devem contar com uma estrutura habitacional completa


A Câmara dos Deputados analisa o Projeto de Lei 6095/13, do deputado Valadares Filho (PSB-SE), que busca dar atendimento prioritário aos jovens no Programa Minha Casa, Minha Vida.

A proposta inclui, na lei que criou o programa (Lei 11.977/09), o atendimento prioritário a famílias com pessoas entre 15 e 29 anos, faixa dos jovens definida pelo Estatuto da Juventude (Lei 12.852/13). Atualmente, a prioridade de atendimento é para famílias com mulheres como chefe da casa, com algum integrante com deficiência ou moradoras de áreas de risco, insalubres ou desabrigadas.

Pelo projeto, a existência de equipamentos de educação, cultura, esporte e lazer e um centro de acesso à internet podem servir como pré-requisitos para caracterizar uma área urbana como consolidada. Com as regras atuais, o local deve ter itens como esgoto, água potável ou energia elétrica para poder ter sua ocupação consolidada caracterizada.

“É necessário que a dignidade mínima dos jovens venha acompanhada de espaços para o desenvolvimento físico, cultural, emocional, com equipamentos de cultura, esporte, lazer e de acesso à cultura digital”, afirma Valadares Filho.

O deputado ressalta que os jovens são um dos segmentos da população mais vulneráveis à violência e à dependência química. “A violência e a dependência às drogas atingem os jovens das periferias, justamente pela falta de opções saudáveis para gastar a energia”, avalia o parlamentar.

Cultura e esporte

Segundo o projeto, equipamentos públicos de cultura e esporte serão necessários para a implantação de moradias previstas no Minha Casa, Minha Vida. A lei estabelece hoje que o poder público deve construir infraestrutura de educação, saúde, lazer e transporte público.

Os recursos para construir as quadras de esporte e bibliotecas públicas, por exemplo, poderão ser obtidos do Fundo de Arrendamento Residencial (FAR), de acordo com o projeto. A lei estabelece que os recursos do fundo podem ser usados para construir estabelecimentos de saúde e educação. O FAR foi criado para ajudar municípios e estados a atenderem à necessidade de moradia para quem recebe até seis salários mínimos e vive em cidades.

Tramitação

A proposta tramita em caráter conclusivo e será analisada pelas comissões de Desenvolvimento Urbano; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Tags: brasil

Anúncios do Lugar Certo

Últimas notícias

ver todas
13 de novembro de 2018
12 de novembro de 2018
08 de novembro de 2018
04 de novembro de 2018
03 de novembro de 2018