Vistoria cautelar dá segurança a vizinhos de prédio a ser construído

Fazer uma análise detalhada de imóveis e terrenos antes de começar uma obra ou reforma pode gerar despesa a mais para a empresa, mas serve como proteção contra cobranças indevidas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 03/10/2014 08:16 Celina Aquino /Estado de Minas
Cristina Horta/EM/D.A Press


A notícia de que um prédio será erguido ao lado costuma deixar dúvida: será que o meu imóvel sofrerá com o impacto da obra?. A vistoria cautelar é uma maneira de dar mais segurança e tranquilidade aos vizinhos. Antes do início da construção, os imóveis do entorno passam por uma análise detalhada, para que seja possível identificar fissuras, trincas, rachaduras, infiltrações e outros problemas. A construtora também ganha, porque se resguarda em caso de queixas indevidas. Para orientar os profissionais da área, o Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia de Minas Gerais (Ibape-MG) lançou, no mês passado, um documento em que ensina tecnicamente como elaborar o laudo.

Apesar de não ser obrigatória, a vistoria cautelar deve ser realizada antes do início de qualquer obra, seja de construção ou demolição. Segundo o presidente do Ibape-MG, Frederico Correia Lima, o profissional avalia a área interna e externa dos imóveis do entorno, incluindo muro, garagem e até o passeio, e registra tudo com fotografias. Para as empresas, uma das vantagens é reduzir o número de ações judiciais. “Se algo ocorrer, fica mais fácil de chegar a um acordo antes de levar para a Justiça. Sem o laudo não dá para visualizar as características anteriores das edificações e definir a origem do dano”, alega. Muitas, no entanto, desconhecem a ferramenta.

Lima entende que a vistoria cautelar também permite que a construtora tome cuidados adicionais durante a obra, caso seja identificado algum problema nos imóveis vizinhos. “Se você vai fazer retirada de terra ao lado de um prédio de 100 anos, que tem a fundação rasa, pode escolher uma solução de engenharia que seja de menor impacto. Isso minimiza os riscos, tanto para a empresa quanto para os vizinhos”, exemplifica. Substituir bate-estaca por estaca escavada é uma alternativa.

Gasto compensa

A vistoria cautelar gera uma despesa a mais para a empresa, mas o diretor da Construtora Saba, Roberto Alves Silva, acredita que compensa. O relacionamento com os vizinhos fica mais próximo, enquanto cria-se uma proteção contra cobranças indevidas. “Em caso de uma demanda judicial, temos as provas antecipadas. Já ganhamos uma ação porque tínhamos tudo documentado”, diz. Em geral, a vistoria cautelar corresponde a 0,1% do custo de obra. Silva não deixa de contratar o serviço antes de começar uma construção.

Para Daniel Rodrigues Neves, da Apec Engenharia, o documento lançado pelo Ibape-MG vai servir como um direcionamento para os profissionais, já que poucos têm experiência com vistoria cautelar. Podem elaborar o laudo engenheiros ou arquitetos, preferencialmente que tenham conhecimento específico na área de perícia. “A vistoria cautelar funciona como seguro de carro: fazemos para não usar, mas tem que ser de valia quando for necessária. Por isso, tem que ser de fácil interpretação. Pode ser que um terceiro venha a analisá-lo”, comenta. O valor do serviço depende da área construída, idade e estado de conservação dos imóveis vizinhos.

A vistoria cautelar pode ser contratada pela construtora ou proprietário de um imóvel no entorno do canteiro de obras. Recomenda-se que as duas partes assinem e recebam uma cópia do documento.

Tags: dicas

Anúncios do Lugar Certo

Últimas notícias

ver todas
04 de março de 2021
03 de março de 2021
02 de março de 2021
01 de março de 2021
26 de fevereiro de 2021