Índice que reajusta aluguel chega a 1,17% em abril, diz FGV

O impacto do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) foi menor do que no mês anterior, com aumento de 0,75%

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 29/04/2015 13:11 / atualizado em 29/04/2015 13:31 Agência Brasil
O Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) encerrou abril com alta acumulada em 12 meses de 3,55%. Essa variação é a que serve de base de cálculo em contratos de aluguel. Na virada de março para abril, o índice subiu de 0,98% para 1,17%. Também houve elevação com maior intensidade sobre o mesmo mês do ano passado quando, a taxa oscilou 0,78%.

A pesquisa do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre-FGV) mostra as variações de preços verificadas entre entre 21 de março e 20 de abril. Dois dos três componentes do IGP-M avançaram em abril: o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) que passou de 0,92% para 1,41% e o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) com alta equivalente a quase o dobro do constatado em março (de 0,36% para 0,65%).
Campanha quer informações sobre alergenos nas embalagens

Leia mais notícias em Últimas

O impacto do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) foi menor do que no mês anterior, com aumento de 0,75%. Em março o IPC teve um aumento de 1,42%.

No que se refere ao IPA, foram feitas correções em relação a março no segmento de bens finais puxados, principalmente, pelo subgrupo alimentos processados que na apuração passada permaneceu estável. Em abril, o subgrupo teve alta de 2,03%. Também pesou o aumento de preços no grupo dos bens intermediários com maior influência do reajuste médio de materiais e componentes para a manufatura (de 0,40% para 1,82%).

Em compensação, perderam força alguns preços das commodities – produtos primários com cotação no mercado internacional. No caso da soja, por exemplo, os preços subiram com menos intensidade do que em março passando de 8,30% para 2,43%. A cotação do milho em grão caiu 0,10% após ter subido 3,75% e a das aves passou de 3,11% para -0,36%. No mesmo período, houve elevação do café em grão (de -3,23% para 3,59%); dos bovinos (de 0,15% para 2,10%) e do minério de ferro (de 1,19% para 2,05%).

Anúncios do Lugar Certo

Últimas notícias

ver todas
12 de novembro de 2018
08 de novembro de 2018
04 de novembro de 2018
03 de novembro de 2018
01 de novembro de 2018