Novo perfil

Corretor de imóveis ganha importância em um mercado em constantes mudanças

Profissional tem que se reinventar para atender às necessidades do cliente

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 30/08/2018 14:04 Augusto Guimarães Pio /Estado de Minas
Reprodução/Internet/Pixabay
Responsável pela intermediação da compra, venda, permuta e locação de imóveis, o corretor atua em uma área que movimenta bilhões de reais no país anualmente. A importância do trabalho desse profissional é tão grande que 27 de agosto é dedicado ao Dia Nacional do Corretor de Imóveis.

Versatilidade e inovação são palavras de ordem para os corretores se destacarem. “Com as mudanças na economia e o novo posicionamento do mercado imobiliário, o profissional que atua nesse segmento tem que se reinventar, mudando sua postura e a forma de se comunicar com o cliente, utilizando a tecnologia como aliada. Apesar de não estarmos mais no ‘olho do furacão’ da crise econômica, o momento ainda é de instabilidade financeira, e isso atinge todos os setores. No mercado imobiliário não é diferente. Para realizar bons negócios, os corretores de imóveis precisam se reinventar e utilizar a capacitação, expertise e novas tecnologias como ferramentas para se destacar no mercado”, ressalta Guilherme Machado, especialista em mercado imobiliário.

Ele conta que, nos últimos 12 meses, as transações imobiliárias movimentaram R$ 472 bilhões, de acordo com estudo realizado pelo Colégio Notarial do Brasil - Seção São Paulo (CNB/SP), associação que congrega os cartórios de notas paulistas. “Podemos afirmar que o setor de imóveis tem uma importância significativa para a economia e é um dos grandes pilares para o crescimento econômico do país”, afirma.

Guilherme Machado se lembra de que viveu em um período em que as empresas se preocupavam muito mais com a quantidade de corretores e não com a qualificação profissional, além de uma outra fase do mercado, na qual a tecnologia ainda não era explorada. “Sou de um tempo em que não existia sistema informatizado e os imóveis eram apresentados previamente por meio de fichas organizadas em diversas pastas. Quem está entrando na profissão agora e se depara diante de tantos recursos tecnológicos consegue imaginar como era vender um imóvel dessa forma?”, questiona o especialista.

Para exercer a função, o primeiro passo que esse profissional precisa tomar é buscar uma formação na área, que pode ser curso técnico em transações imobiliárias (TTI) ou curso superior em gestão imobiliária. Após a formação, o profissional pode realizar sua inscrição no Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci), órgão que organiza o registro dos profissionais, que regulamenta e fiscaliza a profissão e a atividade no âmbito estadual.

O corretor de imóveis pode atuar de forma independente ou em corretoras, construtoras, empresas de loteamento e judiciárias. Para ter mais destaque, ele pode se especializar em uma determinada área, indo desde a escolha dos padrões dos imóveis - luxo, popular e médio -, ou trabalhar com lançamentos, loteamentos e administração de aluguéis, entre outros.

ALTA QUALIDADE

"A forma de vender mudou. O corretor não deve pensar na venda e depois no cliente - método ainda muito praticado no mercado atual -, e sim no cliente e depois na solução mais adequada para ele" - José De Filippo Neto, diretor de comunicação e marketing da Netimóveis
Para o diretor de comunicação e marketing da Netimóveis, José De Filippo Neto, o mercado não para de girar. As pessoas continuam se casando, separando-se, tendo filhos e, consequentemente, investindo em moradia. “Aqueles que se adaptarem às mudanças do mercado e estiverem mais bem preparados irão se sobressair. O perfil do profissional que atua no mercado imobiliário mudou para atender às atuais necessidades deste e dos clientes, cada vez mais exigentes, ansiosos por serviços com prazos menores, personalizados e atendimento de alta qualidade. Mas, por onde começar? Investimento em tecnologia, networking, gestão de negócios e aperfeiçoamento em técnicas de vendas e atendimento são primordiais”, explica.

Outra dica de De Filippo é sobre a venda. “A forma de vender mudou. O corretor não deve pensar na venda e depois no cliente - método ainda muito praticado no mercado atual -, e sim no cliente e depois na solução mais adequada para ele”. Ele explica que o corretor, atualmente chamado de consultor imobiliário, deve gostar de lidar com pessoas, saber se colocar na posição do outro, estar sempre disponível, ter total domínio sobre as informações do produto e se preocupar com uma relação de longo prazo com o cliente.

O diretor da Netimóveis destaca a importância de o corretor realizar sempre cursos e treinamentos para se manter atualizado. “O mercado gira, se modifica e o comportamento de consumo também. É imprescindível que o corretor acompanhe essa evolução. Digo mais, pois é necessário que ele esteja sempre pensando à frente do seu tempo, idealizando novos caminhos e oportunidades”, alerta.

Últimas notícias

ver todas
18 de outubro de 2018
15 de outubro de 2018
14 de outubro de 2018
11 de outubro de 2018
09 de outubro de 2018