Como aumentar a segurança do prédio para prevenir assaltos?

Rondas por câmeras, chaves eletrônicas habilitadas por geolocalização e recursos de biometria aumentam o índice de confiabilidade dos moradores

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 18/09/2019 09:41 / atualizado em 19/09/2019 16:00 Estado de Minas


Freepik/Reprodução
Klift Kloft Still, a porta se abriu! Na década de 90, o programa infantil Castelo Rá Tim Bum fez sucesso com um porteiro robô que pedia uma senha a quem pretendia entrar no castelo. Na época, ninguém poderia imaginar que um dia o serviço usado em condomínios funcionaria de forma eletrônica. A diferença é que o porteiro humano ainda existe, só não fica mais na guarita, exposto aos riscos. Hoje, os controladores de acesso podem trabalhar a distância com câmeras conectadas a uma central de atendimento, que monitora a entrada e a saída do estabelecimento durante 24 horas.

Se na ficção era fácil matar a charada e convencer o porteiro a abrir a porta dando pulinhos ou piscando apenas um olho, na vida real e com as novas tecnologias, a história é bem diferente, explica o CEO da empresa de segurança Peter Graber, Leandro Martins. Segundo ele, cerca de 90% dos assaltos aos condomínios residenciais acontecem pela porta da frente, onde o porteiro muitas vezes está em posição vulnerável e é rendido ou acaba abrindo a porta para alguém com rosto familiar. “O sistema remoto ajuda a aumentar a segurança pois tira o porteiro da área de risco e de quebra ainda reduz em até 60% os gastos com portaria, eliminando folhas de pagamento”, garante.

Chave eletrônica

Quando o prédio tem portaria remota, as pessoas não cadastradas conversam com o porteiro a distância para serem autorizadas a entrar no ambiente. Já quem é parente, amigo e marcou a visita com antecedência pode baixar o app da empresa e utilizar uma chave eletrônica habilitada por geolocalização. “Quando o visitante se aproxima do condomínio a chave é habilitada”, explica Martins.

Biometria

Além do App, outro recurso bastante usado pelas empresas de segurança é a biometria. com o avanço da tecnologia, diversos métodos de identificação foram desenvolvidos, sendo o mais utilizado a identificação da digital que facilita e agiliza o acesso direto do morador ou de pessoas íntimas, sem o uso de chaves ou tags, minimizando o tempo de espera e os riscos que as pessoas correm quando ficam paradas na porta.

Ronda virtual

Em ambientes estratégicos, o monitoramento de imagem pode ainda ser feito com câmeras inteligentes que ajudam a proteger objetos de maior valor, como automóveis, por exemplo. Qualquer atitude suspeita alerta a equipe na central de monitoramento, que analisa as imagens e, se for o caso, chama a polícia. "No Brasil, 99% dos alarmes são disparados de forma acidental. Por isso, a polícia prioriza quem tem imagem", finaliza Martins.

Últimas notícias

ver todas
17 de outubro de 2019
14 de outubro de 2019
11 de outubro de 2019
23 de setembro de 2019
18 de setembro de 2019