Hora de virar a página

Construção civil registra resultados positivos no balanço de 2019

Melhora do ambiente macroeconômico e da confiança dos empresários contribuiu para o fortalecimento do setor. Para este ano, previsão é de crescimento

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press

A construção civil registrou resultados positivos, dentro do contexto atual, no fechamento de 2019. A consolidação do mercado imobiliário já é possível de ser visualizada por empresários, construtoras e incorporadoras. A redução da taxa básica de juros, novos postos no mercado de trabalho, a inflação sob controle, a elevação do crédito e a aprovação de reformas estruturais, como a da Previdência, são alguns fatores que ajudaram a melhorar o ambiente.

De acordo com informações do balanço anual do setor, divulgadas pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG), os números evidenciam que a construção é um dos segmentos que estão fortalecendo a recuperação nacional. De 2014 a 2018, a queda do PIB do setor foi de 30%, enquanto a economia nacional registrou retração de 3,8%. No terceiro trimestre de 2019, na comparação com igual período do ano anterior, a alta registrada foi de 4,4%, a maior entre todos os setores de atividade. Deve-se lembrar de que a última vez em que o setor cresceu foi em 2013 e, por isso, esse resultado é importante, apesar de a base de comparação ser deprimida.

Nos primeiros nove meses de 2019, em relação a igual período do ano anterior, o setor registrou alta de 1,7% no PIB. Para o presidente do Sinduscon-MG, Geraldo Jardim Linhares Júnior, 2019 foi, “sem dúvidas”, superior a 2018, mas longe de ser um ano ideal. “Podemos citar quatro segmentos da construção civil que se destacaram no ano. Os empreendimentos de médio e alto padrão, as obras industriais e corporativas, os loteamentos e as obras de baixa renda.”

Os números positivos apontam um alinhamento de um novo ciclo de confiança e expansão. “Se não tiver confiança, nem dos investidores e compradores, o setor fica muito debilitado. Em pesquisa do índice de confiança dos empresários, a faixa do otimismo estava beirando os 60 pontos comparados aos 40 do ano passado. Um avanço dado pelos fatores macroeconômicos”, avalia.

EXPECTATIVAS

Lucas Couto, diretor comercial e de marketing do Grupo Patrimar, ressalta que o fim de 2018 e início de 2019 foram meses de expectativas e de definição. “No final de 2018, quando tivemos a eleição de um novo governo, as expectativas e a confiança na economia eram muito altas, havia um pacote de várias intervenções a serem feitas e o mercado, que já estava numa ascendência, acreditou que em 2019 isso continuaria, porém com uma recuperação mais rápida”, comenta.

Segundo o diretor comercial, o mercado da construção apresenta uma curva ascendente, com um segundo semestre de maior estabilidade. Consequentemente, o senso de confiança dos empresários em investir mais. “Algumas intervenções que o próprio governo fez, como iniciar a reforma da Previdência, mostraram para as pessoas que aquilo deixava de ser uma previsão para ser realidade, o que tem sido positivo”, pontua.

Um balanço positivo, de acordo com Lucas Couto, para o mercado imobiliário, que vive quase que exclusivamente de financiamento, cerca de 80%. “Há dois ou três anos, tínhamos uma taxa de juros de dois dígitos, cerca de 14%, 15%. Hoje, estamos com taxas de 6,5%, 5,5%, com especulação que chegue a 4,5%, 4% para o início deste ano”, explica. Diante desses resultados, o executivo acredita que 'uma coisa puxa a outra' rumo ao desenvolvimento em um cenário de estabilidade para os próximos cinco anos. “A confiança aumenta, a reforma da Previdência fica cada vez mais clara. A reforma tributária passa a ser o próximo assunto a ser discutido, a taxa de juros tornando o financiamento mais acessível. O resultado é uma melhora significativa no mercado, que poderá crescer de forma ordenada”, explica.

Apesar da retomada, de acordo com o balanço anual, o setor está 30% abaixo do pico de suas atividades, que foi registrado no fim de 2013.

FUTURO


Gilmar Dias, presidente da EPO, avalia o crescimento da empresa de 10% em relação a 2018. Ele destaca os pré-lançamentos e obras de três empreendimentos. “O Contemporâneo, localizado em Contagem, com mais de 40% de reservas já feitas antes do lançamento. O Armazém 356, localizado às margens da BR-356, em que se tem em torno de 80 mil carros/dia passando na porta. Acredito que esse empreendimento será um marco na cidade, com uma arquitetura moderna e diferenciada”, conta. E o Prisma Serena, empreendimento com aproximadamente 19 mil metros de área construída, distribuídos em 12 pavimentos que reúnem espaços multifuncionais, entre salas e lojas. As obras já foram iniciadas e a entrega do empreendimento está prevista para 2021. “A previsão é crescer 10% este ano em relação a 2019”, frisa.

Para a Patrimar é esperado crescimento de cerca de 20% este ano, com lançamentos e vendas. “Estamos com um land bank para até 2023, ou seja, nesses últimos três anos compramos muitos terrenos acreditando na retomada do mercado, o que está se concretizando. Isso para nós é muito positivo, pois saímos na frente com esse estoque de terrenos”, explica Lucas Couto.

DADOS GERAIS DA CONSTRUÇÃO


» Número de trabalhadores na construção civil cresceu no Brasil, em Minas Gerais, na RMBH e em BH

» Minas Gerais é o estado que mais gerou vagas no setor nos primeiros 10 meses de 2019

» Belo Horizonte é a capital do país que mais gerou emprego com carteira assinada na construção em 2019 (janeiro a outubro)

» Vendas de apartamentos superam os lançamentos imobiliários e reduzem a oferta de novas unidades disponíveis para comercialização

» Preço de apartamentos em Belo Horizonte e Nova Lima sobe mais que a inflação

» Redução de lançamentos de padrão econômico (até R$ 215 mil)

» O Valor Global de Vendas de apartamentos nos três primeiros trimestres de 2019 alcançou R$ 1,575 bilhão

* Estagiário sob supervisão da editora Teresa Caram

Tags: mercado de trabalho construção civil taxa básica de juros resultados positivos consolidação do mercado imobiliário construtoras e incorporadoras aprovação de reformas estruturais

Últimas notícias

ver todas
30 de janeiro de 2020
16 de janeiro de 2020
19 de dezembro de 2019
21 de novembro de 2019
28 de outubro de 2019